Confiabilidade imprescindívelReforma de sistemas nas plataformas P-18 e P-20 na Bacia de Campos incluem projeto e mão-de-obra, além do pacote de equipamentos. Fornecimento mostra a força da parceria entre WEG e Petrobrás

A atuação da WEG em sistemas para área naval e off-shore já era conhecida pelo fornecimento de motores e geradores de mais de 30 MW. Agora, duas reformas mostram uma nova solução WEG, desenvolvida em parceria com a Petrobras: pacotes completos de motorização e automação, com instalação e start-up em plataformas antigas.

P-20 – Acionamento dos Guinchos de âncora

A plataforma P-20 é uma semi-submersível que está localizada no Campo de Marlim, o maior campo de produção da Petrobras no Brasil, com lâmina d’água variando de 650 a 1050 metros.A fixação da plataforma é feita por âncoras. Cada âncora é ligada à plataforma por cabos de aço e correntes, e seu acionamento é feito através de motores de corrente contínua de 640kW (870cv).Os Conversores CA/CC analógicos dos guinchos de âncora, que acompanhavam a plataforma desde sua fabricação, demonstravam sinais de desgaste, depois de décadas de funcionamento, exigindo manutenção de componentes fora de linha.Para aumentar a confiabilidade do sistema, um dos conversores foi substituído pela WEG por conversor CA/CC microprocessado 1320A¸ rede 600Vca, série CTW. Este conversor pode acionar vários guinchos de âncora diferentes, através de contatores, servindo de reserva para vários dos conversores antigos que ainda continuam instalados. O sucesso da reforma contou com o empenho da Petrobras, Operação de Produção P-20, Dep. Suporte Técnico (Engenharia de Grandes Máquinas e Sistemas Elétricos), e pessoal embarcado (COFAC, COMAN), além da Engenharia WEG, que projetou o Conversor sob medida para as restrições de espaço e características elétricas.

P-18 – Acionamento do Sistema de Partida dos Turbo-Geradores.

A plataforma P-18, uma semi-submersível que está no Campo de Marlim, rompeu o recorde mundial de ancoragem em 1994, a 910m de lâmina d’água. A geração de energia elétrica da plataforma é feita por turbo-gerador de 15MVA. Há dois turbo-geradores iguais, sendo um reserva do outro.

Para a partida de cada turbina era utilizado motor dahlander, sendo a velocidade “baixa” (900rpm) utilizada para a etapa de “purga”, seguida pela etapa de aceleração até a velocidade “alta” (1800rpm), quando devia ocorrer a partida da turbina.

Como as velocidades de purga e de partida não eram as ideais, e o motor dahlander, de projeto antigo, não desenvolvia torque suficiente para partida, sendo influenciado até pela direção e intensidade do vento na plataforma, a partida da turbina tinha que ser adiantada antes do motor atingir a velocidade nominal. Esse procedimento desgastava prematuramente a turbina.

A WEG desenvolveu um motor especial para esta aplicação, com alto rendimento e alto torque, mas com o mesmo tamanho de carcaça, já que o espaço e a fixação na sala do plenum não permitiam motores maiores. As velocidades de purga e de partida foram otimizadas para valores ideais para as turbinas, através de inversor de freqüência CFW-09 WEG.

O resultado foi a redução da temperatura de partida em 100oC nas turbinas, cuja confiabilidade é imprescindível à plataforma.

O sucesso da reforma contou com o empenho da Petrobras, Operação de Produção P-18, Dep. Suporte Técnico (Engenharia de Grandes Máquinas e Sistemas Elétricos), ST-EMI, Turbo-Máquinas, e pessoal embarcado (COFAC, COMAN), além da Engenharia WEG.

Autor(es): Divulgação WEG

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás