A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) planeja exportar alumina a partir de uma nova operação de mineração e refinaria no Pará, disse um diretor da empresa.

“Se isso continuar, será um notável novo desenvolvimento para a CBA. A empresa produzia até agora alumina para suas próprias necessidades”, disse à Reuters o diretor de Mineração, Carlos Parisi.

A capacidade anual da refinaria de alumina da CBA no Estado de São Paulo, de 1 milhão de toneladas, atende a fundidores primários de alumínio na região vizinha à empresa, exportando apenas o excesso da produção, disse Parisi.

A CBA está agora aumentando sua demanda por alumina em linha com a expansão da sua capacidade de metal primário, de 400.000 para 470.000 toneladas por ano, a ser finalizada em março de 2007.

O novo projeto da CBA está em Paragominas, ao lado de uma área onde a Companhia Vale do Rio Doce está desenvolvendo uma mina de bauxita, disse Parisi. No geral, a Paragominas estimou reservas de 2 bilhões de toneladas de bauxita.

“Começaremos a prospectar em agosto ou setembro em uma grande área não-explorada de 300.000 hectares”, disse ele, acrescentando que a exploração inicial em uma parte da propriedade levaria três anos com o possível início da mina em cinco anos.

O projeto necessitaria de construção de instalações para lavagem e trituração de minério em Paragomnias, complementou.

Autor(es): Reuters

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional