SKF fatura R$ 70 milhões com segmento industrial no primeiro trimestre

Faturamento com prestação de serviços de engenharia aplicada cresce 45% no período.

A divisão brasileira de negócios industriais do grupo SKF, líder mundial na fabricação de rolamentos, registrou faturamento de R$ 70 milhões no primeiro trimestre de 2006, volume 15% maior que os R$ 61 milhões verificados no ano anterior.

Do resultado total, R$ 21 milhões foram obtidos com a venda de componentes destinados ao abastecimento das linhas de produção das indústrias. “O setor de máquinas e equipamentos foi o destaque na carteira de OEM”, diz Donizete Santos, presidente da unidade brasileira da SKF. “Os demais segmentos, como mineração, sucroalcooleiro, papel e celulose, alimentos e bebidas e siderurgia também apresentaram bom desempenho”, informa o executivo.

As vendas para o aftermarket (destinadas à reposição e manutenção do parque industrial das empresas) ficaram com a maior participação absoluta do resultado. Neste segmento, a SKF movimentou R$ 49 milhões.

O maior crescimento relativo, por sua vez, se deu no segmento de serviços. A prestação de consultoria para plantas industriais, com o objetivo de melhorar a performance de maquinários, evitar paradas industriais não-programadas e racionalizar o estoque de peças de reposição, rendeu R$ 27,6 milhões a SKF em 2005, volume 45% superior ao registrado em 2004.

Além da alta da demanda, o crescimento das vendas decorreu da expansão da base de clientes industriais. Em 2003, a SKF atendia 140 plantas em todo o país. Em 2005, a empresa fechou o ano com 880 plantas em carteira, plataforma para a qual fornece não só rolamentos e serviços, mas também lubrificantes e uma linha completa de ferramentas de manutenção composta de alinhadores, sensores, entre outros dispositivos de alta precisão.

O atendimento a este conjunto de clientes é feito em parceria com uma rede de 25 distribuidores.

“O aumento da utilização da capacidade instalada está obrigando as empresas a investir na otimização dos ativos. Nossos serviços de consultoria e engenharia aplicada ajudam a diminuir as paradas não-programadas e a racionalizar todo o processo de gestão de estoque de reposição, fundamental para garantir a produtividade”, explica Santos.

Para o executivo, a demanda neste segmento deve continuar. “A menor competitividade do real frente ao dólar e o ambiente difícil criado pelas altas taxas de juros vão continuar exigindo a busca de ganhos de performance. Só a produtividade poderá compensar estes fatores adversos, por isso acreditamos na intensificação dos negócios com serviços de manutenção”, diz o executivo. “Para ganhar terreno neste mercado, estamos investindo na capacitação e certificação da rede de distribuidores e na ampliação do corpo técnico interno. Hoje já contamos com mais de 150 especialistas em manutenção industrial espalhados pelo país. Até o final deste ano , pretendemos expandir esta base para 200 profissionais”, conta o diretor da divisão Reliability Systems da SKF, Carlos Alberto Fernandes.

Sobre a SKF

O grupo sueco SKF é líder mundial no desenvolvimento e fornecimento de rolamentos. Dono de um faturamento de US$ 6,1 bilhões em 2004, o Grupo está presente em 160 países, com 83 plantas industriais espalhadas pelo mundo e 7 mil distribuidores autorizados. Além de rolamentos para as mais diversas aplicações (a SKF produz atualmente 60 mil tipos de rolamentos), o Grupo oferece sofisticados equipamentos de monitoramento de condição de máquinas e ferramentas de manutenção, garantindo a otimização dos ativos de seus clientes. A SKF também aplica seus conhecimentos ao fornecer soluções para uma manutenção pró-ativa para eliminar falhas em equipamentos. Todos esses recursos e expertise servem para agregar valor às operações industriais dos clientes.

Além do setor industrial, o Grupo também é líder em produtos e soluções para o setor automotivo, que engloba além de rolamentos, bombas d’água, kits de polias e tensionadores de correia, atuadores hidráulicos, cruzetas, rolamento com sensor ABS, entre outros.

A companhia chegou ao Brasil em 1915, 8 anos depois de sua fundação na Europa. No país, a empresa é líder de mercado nos setores em que atua. A produção da unidade brasileira está concentrada na planta industrial de Cajamar, instalada às margens da rodovia Anhanguera, a 30 km da cidade de São Paulo.

No Brasil, a SKF emprega 650 funcionários. O faturamento da unidade local em 2004 foi 10% superior ao registrado em 2003. No segmento industrial, a SKF tem clientes como Votorantim, Açominas, Melhoramentos, Klabin, Petrobras e Bunge. Já no automotivo, a companhia atende grandes montadoras como Fiat, Ford, GM, Volkswagen, DaimlerChrysler, Volvo e Scania.

Autor(es): Conteúdo Comunicação Empresarial

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas