A Kennametal, fabricante americana de ferramentas de usinagem e peças resistentes ao desgaste, vai antecipar a segunda fase de seu projeto de expansão em sua produção, que estava prevista para começar em março de 2007. A empresa vai investir R$ 6 milhões para ampliar em 25% sua capacidade instalada para atender o crescimento da demanda interna e iniciar as exportações a partir da fábrica localizada em Indaiatuba, em São Paulo.

“Antecipamos as obras por causa da demanda industrial e automotiva e dos bons resultados de vendas nos primeiros meses do ano. A empresa é quase nova no Brasil e dobrou suas vendas nos últimos dois anos, o que mostra o potencial enorme desse mercado”, disse o diretor geral da Kennametal no Brasil, Marcelo Pruaño. A empresa, que atuava desde 1999 no País por meio de um escritório comercial em São Paulo, investiu R$ 10 milhões na construção da fábrica, inaugurada em março.

A segunda fase de expansão, na qual serão compradas novas máquinas de usinagem, entra em operação no segundo trimestre de 2007. Pruaño informou que a matriz resolveu focar seus investimentos nos mercados em desenvolvimento, e que o Brasil passará a ser um ponto chave para a empresa na América Latina. A partir do ano que vem a unidade brasileira começa a atender o Mercosul, sobretudo Chile e Argentina. Em até três anos, a unidade passa a exportar para México, EUA e União Européia. A meta é que as exportações representem 30% da produção.

Para diversificar sua atuação, a empresa pretende ampliar o seu fornecimento ao segmento industrial, entre eles de aeronáutica, equipamentos pesados, agroindústria, equipamentos para agricultura, indústria de transformação e geração de energia. Atualmente, entre 60% e 70% do faturamento da empresa no País - dado não divulgado - vêm da indústria automotiva. A intenção é de aumentar a fatia do segmento industrial para 60% em dois a três anos.

“Isso vai reduzir a dependência setorial da empresa. Por exemplo, hoje o setor automotivo e o aeronáutico estão em fase de alta produção, mas ao agronegócio não. A meta é compensar a crise e a sazonalidade de um setor com outro”, disse Pruaño.

Terceiro turno

A fábrica brasileira produz ferramentas customizadas em aço, como porta-ferramentas, fresas, cápsulas, barras de mandrilar, rotativas e brocas de metal duro. Até o final de junho deste ano Pruaño acredita que a capacidade instalada da unidade estará tomada, com dois turnos de produção. A partir de julho, a empresa vai adicionar um terceiro turno, seis dias por semana. Fundada em 1938 e dona de 46 fábricas em 64 países, a Kennametal faturou US$ 2,2 bilhões em 2005.

Autor(es): Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

Máquinas & Equipamentos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Máquinas & Equipamentos