Fusão, anunciada após cinco meses de negociações, forma empresa com 320 mil empregados no mundo

A siderúrgica européia Arcelor, segunda maior produtora de aço do mundo, anunciou a fusão com a líder do setor e sua maior rival, a companhia de capital indiano Mittal Steel, após cinco meses de negociação.

Com a união, será criada a Arcelor-Mittal, gigante do setor siderúrgico com 320 mil empregados e produção anual de 116 milhões de toneladas de aço -três vez mais do que seu principal concorrente, informa a empresa. O faturamento será de US$ 75 bilhões por ano.

principal concorrente, informa a empresa. O faturamento será de US$ 75 bilhões por ano.

O conselho de administração da Arcelor decidiu aprovar a proposta da Mittal após nove horas de reunião ontem em Luxemburgo. A companhia rival, que pertence ao indiano Lakshmi Mittal, dono da quinta maior fortuna do mundo, aumentou em 10% sua proposta anterior, de US$ 30 bilhões. A fusão ainda terá de ser aprovada pelos acionistas da Arcelor. A assembléia deverá ocorrer nos próximos dias.

Há cerca de um mês, a siderúrgica européia anunciou que se uniria à empresa russa SeverStal, controlada pelo bilionário Alexei Mordashov. A operação foi avaliada em US$ 16,6 bilhões, e, segundo o anúncio, a empresa russa controlaria 32% do capital da Arcelor. Na ocasião, a companhia indiana criticou a união, disse que seria prejudicial aos acionistas e que não elevaria sua oferta para comprar a Arcelor. “Chegamos à conclusão de que a oferta da Mittal Steel era melhor do que a proposta da SeverStal”, disse Joseph Kinsch, porta-voz da Arcelor. Com a fusão, a Mittal ficará com 43% das ações do novo grupo e sua participação não poderá superar o limite de 45%.

Por meio de um comunicado oficial, a Mittal informou que sempre procurou uma fusão que atendesse aos interesses de “todos os que têm participações” e que está “muito satisfeita com o que conseguiu”. Nas negociações, a Mittal teria aceitado a transferência de ativos considerados pela Arcelor como pouco produtivos -especialmente nos Estados Unidos.

Após o anúncio da Arcelor, a SeverStal reagiu. “Temos um acordo legal, obrigatório, de fusão e que teve o apoio da diretoria da Arcelor”, informou o grupo russo. “Estamos muito surpresos que a diretoria não tenha nos convidado para discutir nossa proposta revisada nem oferecer a nós a oportunidade de responder como pedimos. Estamos, agora, revendo todas as nossas opções.” O grupo deve exigir que a Arcelor pague uma multa por ter desfeito o negócio com a SeverStal.

Em Luxemburgo, onde está situada a sede européia da Arcelor, o governo também aprovou o acordo de fusão com a Mittal. “A sede e o centro de decisões do futuro grupo ficarão em Luxemburgo”, disse Jeannot Krecke, ministro da Economia daquele país.

No Brasil, o grupo Arcelor lidera a produção de aço e detém 28% de participação nesse mercado. Em segundo lugar está a Usiminas. Em seguida estão as empresas Gerdau e CSN. A Arcelor controla as siderúrgicas Belgo Mineira, Companhia Siderúrgica de Tubarão e Vega do Sul e é dono da Acesita.

Com agências internacionais

Autor(es): Folha de São Paulo

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia