A mineradora Inco admitiu derrota em sua tentativa de comprar a rival canadense Falconbridge na sexta-feira, encerrando uma batalha que já durava nove meses com a suíça Xstrata pela produtora de cobre e níquel.

"Apesar de um grande número de acionistas da Falconbridge ter apoiado nossa oferta, isso, infelizmente, não foi suficiente", reconheceu o presidente-executivo da Inco, Scott Hand. O executivo, que lançou a oferta de compra em outubro, considerou o fracasso como decepcionante e afirmou que "os acionistas da Falconbridge se pronunciaram e estamos seguindo em frente".

Isso significa que a Xstrata, maior acionista da Falconbridge, com participação de 20%, ficará com a mineradora canadense e a Inco irá se concentrar em outra batalha global de aquisição.

A oferta em dinheiro e ações da Inco tinha apoio da americana Phelps Dodge, como parte de um plano de fusão em duas etapas que previa a Inco adquirindo a Falconbridge para então a Phelps comprar a primeira. A Inco informou que vai se concentrar em completar seu acordo com a Phelps. Mas a gigante canadense do níquel também é alvo de oferta hostil da Teck Cominco, do Canadá, cuja proposta exigia que a Inco abandonasse o acordo com a Falconbridge. Rio Tinto, Companhia Vale do Rio Doce, BHP Billiton e Anglo American foram consideradas como potenciais interessadas na Inco.

Autor(es): Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia