A recuperação da demanda interna brasileira e o aumento do consumo de aço nos Estados Unidos e Canadá proporcionaram crescimento de 9,6% nas vendas da Gerdau. O grupo comercializou 7,4 milhões de toneladas no primeiro semestre e faturou R$ 13,5 bilhões. Esse montante é igual ao obtido no mesmo período em 2005 - um dos melhores anos da história da siderurgia mundial.

Do faturamento total, R$ 8,2 bilhões (60,8%) foram decorrentes da sua atuação internacional, por meio de exportações a partir do Brasil e do desempenho das unidades Gerdau na Argentina, Chile, Colômbia, Canadá, EUA, Espanha e Uruguai. No mercado interno brasileiro, o faturamento teve 3,4% de acréscimo sobre os primeiros seis meses de 2005, chegando a R$ 5,3 bilhões, equivalente a 39,2% do consolidado. Foram vendidos 2 milhões de t (+12,1%). O lucro líquido foi de R$ 1,8 bilhão, 6,2% superior ao do primeiro semestre do ano passado.

No mesmo período cresceu 10,4% a produção global de aço, chegando a 7,7 milhões de t. A de laminados evoluiu 17,4%, para 6,3 milhões de toneladas. No Brasil, foram produzidas 3,6 milhões de t de aço (+1,8%), e 2,3 milhões de t de laminados, acréscimo de 15,9%. Nos EUA e Canadá, as vendas cresceram 9,5% devido à expressiva demanda por aço na América do Norte. Foram comercializados 3,5 milhões de t, o que representou 47,3% do total de vendas físicas realizadas pelo Grupo. As usinas na América do Norte produziram 3,5 milhões de t de aço (+ 7,3%) e 3,3 milhões de t de laminados (+ 4,4%). O faturamento na região manteve-se em R$ 5,8 bilhões e representou 43% do consolidado.

A incorporação de unidades na Colômbia (Sidelpa e Diaco) e o aumento de participação de 38,5% para 74,4% na Sipar (Argentina) impactaram positivamente nos resultados da região. Juntas, as operações na Argentina, Chile, Colômbia e Uruguai venderam 115,5% a mais, passando de 316 mil t para 681 mil t. O faturamento do Grupo Gerdau na América do Sul, exceto Brasil, ultrapassou pela primeira vez R$ 1 bilhão (R$ 1,1 bilhão) no período, 76,6% mais que nos primeiros seis meses de 2005. A produção de aço na região cresceu 114,2%, chegando a 489 mil t, e a de laminados apresentou 135,9% de evolução (587 mil t).

Neste semestre, também passou a ser consolidada a participação de 40% no capital social da Corporación Sidenor (Espanha), que representou R$ 428,7 milhões de faturamento e vendas físicas de 157 mil t. Em relação à produção, foram contabilizadas 166 mil t de aço e 143 mil t de laminados.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia