A Usiminas recebeu a licença de instalação para as obras da coqueria número 3, que será instalada na usina da empresa, localizada em Ipatinga (MG). Nos próximos dias, a siderúrgica inicia a licitação dos equipamentos. O processo de escolha dos fornecedores deve levar entre três e quatro meses. Serão exigidos investimentos entre US$ 200 milhões e US$ 230 milhões na construção da unidade, afirmou ao Valor Rinaldo Campos Soares, presidente do Sistema Usiminas. A empresa vai buscar financiamentos para 70% do valor total do aporte.

Kátia Lombardi/valor Rinaldo Soares, presidente: nova unidade terá investimentos de até US$ 230 milhões e obra deve durar 30 meses

Os recursos previstos foram calculados pela Usiminas com base numa licitação prévia feita há alguns meses. "Os preços dos fornecedores chineses de equipamentos estão competitivos, mas não há a diferença gritante em comparação a fabricantes de outros países", disse Soares.

A coqueria ficará pronta em 30 meses a partir da contratação dos equipamentos - a previsão é de conclusão em 2009 - e deve garantir à Usiminas a auto-suficiência de coque (combustível derivado de carvão, um dos principais insumos no processo de fabricação do aço). A partir do segundo semestre de 2009, a produção deverá atingir 750 mil toneladas por ano. Atualmente, a Usiminas importa 250 mil toneladas de coque. A atual coqueria, que tem 45 anos de idade, será desativada quando a nova unidade estiver pronta.

A coqueria faz parte do novo ciclo de expansão da Usiminas, que inclui a construção de uma nova usina, com capacidade de produção de 5 milhões de toneladas, um laminador de tiras a quente (4 milhões de toneladas) na Cosipa e uma termelétrica. Em cinco anos, os investimentos serão de cerca de US$ 1,8 bilhão, sem incluir a nova usina.

Em Pouso Alegre (MG), o Sistema Usiminas formalizou a realização dos investimentos de R$ 46 milhões na expansão da Usiparts, empresa especializada na produção de peças estampadas e fabricação de cabines de caminhões e picapes. Desse total, R$ 10 milhões serão financiados pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e outros R$ 23 milhões pelo BNDES.

A nova linha de produção aumentará em 30% o volume de produção e deve ficar pronta no primeiro bimestre de 2007. Hoje, são processadas cerca de 2,5 mil toneladas mensais de materiais. A Usiparts é responsável pela produção de cabines de caminhões de empresas como Ford, Iveco, International e Volkswagen, além da montagem de parte do modelo L200, da Mitsubishi.

De acordo com o presidente da Usiparts, Flávio Del Soldato, o mercado de caminhões retomará o ritmo de demanda no ano que vem, com a produção de cerca de 125 mil unidades. A Usiparts já planeja aumentar de três para cinco o número de prensas da nova unidade.

A repórter viajou a convite da Usiparts

Autor(es): Valor / Patrícia Nakamura

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas