A siderúrgica Usiminas assinou ontem contrato com as Prensas Schuler, no valor de R$ 46 milhões para aquisição de três novas prensas, com objetivo de ampliar a produção de carrocerias de caminhões e picapes, por encomenda da indústria automobilística brasileira. A empresa produz anualmente, através da sua subsidiária Usiparts, instalada nesta cidade, 35 mil unidades entre cabines dos caminhões Cargo, da Ford, e carrocerias da camioneta L-200, cabine dupla, da Mitsubishi, além de partes estampadas dos caminhões Iveco, Mercedes-Benz, Scania e Volvo, entre outras.

Os novos equipamentos começam a operar até março, para atender à expectativa de produção de veículos pesados no País que, em 2007, será de, aproximadamente 115 mil veículos, segundo informações divulgadas na solenidade. A Usiparts estará em condições de aumentar em 30% a produção de estampados. "Vamos criar condições para que, brevemente, possamos montar veículos, integralmente, em nossas instalações", segundo o seu superintendente, Flávio Edson Del Soldato.

Segundo o dirigente, a empresa apresenta custos inferiores aos das próprias montadoras para produzir veículos de pouca tiragem, como os caminhões. Disse, ainda, que a fábrica tem condições de produzir em condições vantajosas, a carroceria de automóveis que perderam grande parte da força de vendas, mas que ainda são queridos por muitos consumidores. Citou, em especial o automóvel Santana, que se tornou desinteressante para uma montadora de grande porte como a Volks, mas que poderia ser produzida numa linha de montagem como a dele, "que atua como um restaurante à la carte".

A Usiparts é sucessora da Brasinca, empresa criada na década dos anos 70 para montar carrocerias de veículos com pouco volume de vendas, como as picapes, sob encomenda da indústria automobilística. Em meados dos anos 90, a empresa sucumbiu à crise cambial provocada pela artificial valorização do real, quando a moeda brasileira teve o mesmo valor do dólar.

Em 1996, a Usiminas comprou parte do seu capital, com o objetivo de dominar a tecnologia, e três anos depois adquiriu o controle. Segundo o presidente da siderúrgica, Rinaldo Campos Soares, a aquisição faz parte de uma estratégia que tem como objetivo oferecer produtos siderúrgicos com maior valor agregado aos seus clientes.

O dirigente lembrou que algumas das 15 subsidiárias da siderúrgicas foram constituídas para realizar esse trabalho de beneficiar o aço. Citou como exemplo a Usiminas Mecânica, que produz grandes pontes, viadutos, imensas estruturas metálicas prediais e industriais, além de equipamentos para a indústria de óleo e gás. A empresa produz também várias partes estampadas de automóveis da marca Fiat.

Rinaldo Soares esclareceu que, embora a principal atividade da Usiparts seja a produção de peças estampadas, conjuntos soldados e cabines completas de aço e alumínio para a indústria automobilística, a companhia também desenvolve projetos em parcerias com os clientes. A fábrica está localizada às margens da rodovia Fernão Dias, a 200 quilômetros de São Paulo, tem mil funcionários e é a maior empregadora do município. Faturou R$ 260 milhões no ano passado. (Durval Guimarães - Gazeta Mercantil)

Autor(es): Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

Máquinas & Equipamentos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Máquinas & Equipamentos