No último dia 5 de outubro, em São Paulo, a SolidWorks concluiu a programação de lançamento do SolidWorks 2007 no Brasil. A nova versão do software de CAD - que tem como principal destaque a tecnologia Swift (SolidWorks Intelligent Feature Technology) - foi apresentada em eventos nas duas últimas semanas em seis cidades brasileiras: Curitiba, Joinville, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo.

Os eventos atraíram mais de 3.500 profissionais. "Isso demonstra o crescente interesse do mercado pelo nosso produto. No lançamento da versão anterior, em Minas Gerais, por exemplo, participaram 60 profissionais. Este ano foram mais de 400", comenta Carlos Beato, diretor de Vendas e Operações para a América Latina da SolidWorks.

Segundo o diretor, o "crescente interesse" tem se refletido nas vendas da empresa. "Em comparação com o primeiro semestre de 2005, registramos crescimento de 80% no mesmo período de 2006", diz. Para Carlos Beato, vários fatores têm contribuído para o aumento da demanda. "O mais evidente é o movimento que está ocorrendo no mercado de migração da tecnologia 2D para 3D", aponta, lembrando que nesse processo de mudança de tecnologia parcela significativa das empresas está adotando a solução da SolidWorks.

Outro fator é o aumento da presença da SolidWorks no mercado brasileiro. Apenas em 2006, a empresa conquistou três novas revendas em importantes mercados, como a TS Sistemas, em São Paulo; a SKA-Renderworks no Rio Grande do Sul e Santa Catarina e, agora, a BS7 Automação, em Minas Gerais.

"Depois da China, o Brasil é o mercado em que estamos apresentando maior crescimento", disse Vic Leventhal, membro do Conselho de Administração da SolidWorks e executivo da Dassault. Presente aos eventos de lançamento do SolidWorks 2007, Leventhal afirmou que o mercado brasileiro tem grande potencial e que em alguns segmentos - como é o caso do segmento de ônibus - a plataforma SolidWorks está se em vias de se transformar em padrão. A SolidWorks América Latina representa hoje 2,5% do faturamento global da corporação. A expectativa é que, em breve, a região responda por 6 a 8% do faturamento global.

SWIFT - Para Carlos Beato, o grande destaque da versão 2007 é a tecnologia Swift (SolidWorks Intelligent Feature Technology). O diretor explica que a Swift automatizou vários processos e comandos, permitindo que novatos tenham o desempenho de experts em CAD. "Numa comparação, é como se dêssemos um carro com câmbio automático para alguém que acabou de tirar a carteira de habilitação de motorista, suprimindo as dificuldades que os iniciantes têm com o controle da embreagem, por exemplo".

O diretor explica que para desenvolver a tecnologia, a SolidWorks colocou em campo vários técnicos e pesquisadores para conhecer de perto as dificuldades dos novatos. Após esse levantamento, foram desenvolvidas soluções para agilizar o aprendizado e uso. De acordo com a empresa, a tecnologia derruba o conceito de que software poderoso é necessariamente complexo, fornecendo ganhos de eficiência, ao mesmo tempo em que simplifica o uso do software.

A nova versão traz ainda um conjunto superior a 200 novos recursos, sendo que mais de 90% deles foram indicados por usuários.

No evento, foram apresentados também cases de utilização do software. Como da Victum, do Rio Grande do Sul, que trabalha em parceria com escritório de design Índio da Costa, que desenvolveu os premiados ventiladores de teto Spirit e mais recentemente o circulador de ar para a mesma marca; a SIN, de São Paulo, que fabrica implantes dentários; e a Brax/Lobini, que utilizou o software para redesenhar várias partes do projeto do veículo esportivo Lobini H1, que será apresentado no Salão do Automóvel.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Automação Industrial
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Automação Industrial