Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Nippon Steel quer comprar 1,7% das ações da Usiminas

Mais notícias relacionadas a comércio internacional:

Taiwan: mercado promissor de produtos siderúrgicos
Cenário dos laminados planos é dominado pela China Steel Corporation (CSC), única empresa com usinas ...


O que são exportações invisíveis
Também conhecidas como exportações intangíveis, incluem pagamentos, licenciamento e repatriação de lucros entre empresas.


Camex anuncia redução de imposto de importação até 2014
Máquinas e bens de informática não produzidos no Brasil


A siderúrgica japonesa Nippon Steel pretende adquirir 1,7% das ações da Usiminas, maior fabricante de aço do Brasil, informou neste domingo (5) o jornal japonês “Nihon Keizai”. A compra deverá ser concretizada no final deste ano. A Nippon Steel está considerando também a construção de alguns altos fornos no Brasil.

Sob os termos da nova aliança econômica, que serão anunciados oficialmente na próxima semana, o objetivo da Nippon Steel é ampliar sua capacidade de provisão em toda a América e na Europa.

A Usiminas é uma empresa de riscos compartilhados entre companhias brasileiras e japonesas, que começou suas operações em 1962. Entre seus acionistas está a Nippon Usiminas, uma empresa com sede em Tóquio que possui um 19,4% dos valores da Usiminas.

Por sua vez, a Nippon Steel possui 14,4% das ações da Nippon Usiminas, segundo o “Nihon Keizai”, que citou fontes da indústria.

A Usiminas se transformou em um dos grandes produtores mundiais de aço de alta qualidade, graças em parte à assistência técnica proporcionada pela Nippon Steel, que considera agora a necessidade de aportar também seu capital ao desenvolvimento dessa companhia.

A Nippon Steel utiliza o material fornecido pela Usiminas para fabricar pranchas de aço no Brasil, que são vendidas aos fabricantes de automóveis do Japão e de outras partes do mundo.

No que se refere aos altos fornos que a Nippon Steel pretende construir no Brasil para a Usiminas, esta empresa investirá nessas instalações cerca de 400 bilhões de ienes (R$ 7,1 bilhões), segundo os números revelados pelo “Nihon Keizai”.

A meta é fabricar anualmente cinco milhões de toneladas de aço, que permitam multiplicar por 1,5 a atual produção deste metal até 2010.

O Globo

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a comércio internacional:

Importação de produtos químicos da Índia

A indústria química indiana está em franca expansão. O setor proporciona hoje um grande volume de negócios dentro e fora do país. Produtos químicos ...
Pesquisa mostra recuperação da indústria chinesa

A produção industrial na China melhorou neste mês de outubro, dando sinais de que uma recuperação pode estar tomando forma depois de uma queda acentuada da segunda ...
Definição de certificado de origem

O certificado de origem é um documento importante no comércio internacional que atesta que os bens em um embarque de exportação específico são inteiramente obtidos, produzidos, fabricados ...
Diferença entre marca de serviço e marca registrada

Se você fabrica um produto ou oferece um serviço, provavelmente quer que sua empresa tenha uma identidade única para permitir que seus clientes saibam a origem do produto ou ...
Modelos de comércio internacional

Modelos de comércio internacional têm sua origem na teoria da vantagem absoluta apresentada por Adam Smith, que demonstrou que era benéfico para um país se especializar ...
Déficit em químicos alcança US$ 12,0 bi no primeiro semestre

As importações brasileiras de produtos químicos totalizaram mais de US$ 19,4 bilhões no primeiro semestre de 2012, enquanto as exportações somaram US$ 7,4 bilh ...
China pretende criar zona de conversão da moeda

A China planeja criar uma zona especial para experimentar com a convertibilidade da moeda em Shenzhen (foto), cidade em que introduziu as principais reformas econômicas há três d ...

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google