Até três anos atrás, a fabricante de ferramentas de corte Palbit, de Portugal, restringia sua atuação aos mercados europeu e norte-americano. Em 2003, decidiu buscar novos mercados. A decisão mostrou-se acertada: o faturamento global duplicou nesse período. "E a nossa expectativa é a de que vamos dobrar novamente o faturamento nos próximos três anos", afirma Jorge Ferreira, diretor Comercial da Palbit.

A empresa - que mantém filial no Brasil desde 2005 - planeja abrir novas unidades na Argentina e na China em 2007. "Nossa meta é cobrir toda a América Latina até 2012, com filiais próprias nos principais países", informa, acrescentando que a unidade chinesa se encarregará de atender todo o mercado asiático.

Paralelamente, tem investido no desenvolvimento de produtos e na ampliação do leque de ferramentas, visando a completar todo o range das necessidades de usinagem. "Em 2007, vamos ampliar nosso programa, inclusive nos segmentos de peças especiais antidesgaste e peças especiais para transformação e tratamento de pedras", diz.

Para o mercado brasileiro, uma das novidades é o eletromandril, lançado em outubro durante a Usinagem 2006. O equipamento opera em rotação de 1 mil a 25 mil e é voltado para trabalhos em matrizarias e ferramentarias. "Trata-se de um produto de alta confiabilidade, que já está no mercado mundial há quatro anos, mas que só agora resolvemos trazer ao Brasil", explica Ferreira.

PALBIT BRASIL - Criada no final de 2004, a filial brasileira passou a operar efetivamente em maio de 2005, em Santo André (SP). Milton José Cini, gerente da Palbit Brasil, conta que a princípio a maior dificuldade da filial foi o pouco conhecimento da marca no mercado nacional, superada com a participação em feiras nacionais e regionais.

Para facilitar a introdução da marca, adotou-se a estratégia de concentrar a atuação no segmento de moldes e matrizes. "Nesse segmento a Palbit é muito forte, até porque Portugal é um dos principais fabricantes mundiais de moldes de grande porte e de precisão", explica Cini.

Para atender o segmento de moldes e matrizes, a Palbit já colocou no mercado brasileiro um programa completo de ferramentas, com destaque para a Jet Feet, linha de fresas de 2, 3 e 4 arestas de corte para altos avanços e de grande remoção de cavacos. Também obteve boa aceitação a linha de brocas-canhão, empregada para a produção dos furos de refrigeração em moldes, disponível nos diâmetros de 6 a 32 mm e com até 2,30 m de comprimento.

Em breve, a Palbit lançará no Brasil todo o seu programa de ferramentas, compreendendo as áreas de torneamento, fresamento e furação. No momento, a empresa está concluindo a estruturação da filial. "Já contamos com oito distribuidores, em Caxias do Sul, Joinville, Curitiba, São Paulo (capital e interior) e Rio de janeiro. Em 2007, pretendemos penetrar também nos mercados de Minas Gerais, Nordeste e Manaus", conta o gerente.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional