A MWM Motores Diesel acaba de lançar a família de motores eletrônicos MWM Acteon. Fruto de investimentos superiores a R$ 40 milhões, os motores Acteon estão disponíveis nas versões de 4 e 6 cilindros em linha, com respectivamente 4.8 e 7.2 litros. "O principal objetivo da MWM ao desenvolver este produto foi aliar tecnologia de ponta, 100% nacional, ao atendimento das mais rigorosas legislações de controle de emissões de poluentes", analisa José Eduardo Luzzi, diretor de Vendas e Marketing da MWM.

Os motores MWM Acteon de 4 cilindros atendem aplicações veiculares que demandam potência máxima entre 150 e 206 cv. Já a versão de 6 cilindros foi projetada para atender a faixa de potência de 210 a 310 cv. "Estes propulsores possuem dimensões e pesos semelhantes aos atuais motores mecânicos, mas com um incremento de potência superior a 30%", explica Luzzi.

Esta relação peso/potência, decorrente da combinação dos benefícios da injeção eletrônica, do aumento da cilindrada e do uso de materiais mais resistentes, possibilita o chamado downsizing, ou seja, a utilização de propulsores menores, porém mais potentes. Os motores eletrônicos MWM Acteon de 7.2 litros têm melhor desempenho que similares mecânicos com cilindrada muito superior. Além da possibilidade da utilização da versão de 4 cilindros em aplicações originalmente equipadas com motores de 6 cilindros. "Isto torna os MWM Acteon versáteis para diversas aplicações veiculares, atendendo uma gama de veículos entre 9 e 43 toneladas (PBTC), notadamente caminhões e ônibus leves, médios e semipesados", comenta o diretor.

Acompanhando o ganho de potência, a MWM desenvolveu uma tomada de força adicional de até 240 cv, opcional para aplicações especiais, como caminhões betoneiras. A nova família Acteon está ajustada para cumprir a norma EURO 3, e com a possibilidade de evolução para atendimento das futuras legislações de emissões dos Estados Unidos e da Europa. "Estas características tornam estes motores uma alternativa viável e competitiva para alavancar ainda mais as exportações da empresa", destaca Luzzi.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas