A Graúna Aerospace, uma das principais fabricantes de peças para o setor aeroespacial, inicia plano para quadruplicar seu faturamento nos próximos quatro anos e buscar a abertura de seu capital na bolsa. A empresa é um dos principais fornecedores de peças usinadas para a Embraer e passa agora a produzir peças e sistemas de maior complexidade na cadeia de produtos, inclusive para grandes empresas internacionais.

O comércio mundial de peças para o setor aeroespacial movimenta atualmente cerca de US$ 35 bilhões/ano, e engloba serviços para fabricação de peças, montagem de subconjuntos, usinagem de peças, tratamento de superfícies, montagem de estruturas e componentes.

No Brasil, o setor atualmente está diretamente relacionado ao crescimento da Embraer, mas já começa a se lançar em novos mercados. A própria Graúna já fornece partes para EADS/CASA e Eleb, e assinou contrato pioneiro com a Pratt & Whitney Canada para fabricação de partes de motores, contrato que representante parte relevante do faturamento já em 2007.

Com o novo aporte financeiro da Stratus, a meta de faturamento anual da Graúna Aerospace será de R$ 100 milhões em 2010. A empresa deve faturar cerca de R$ 26 milhões em 2006. O plano de investimentos, estimado em cerca de R$ 22 milhões nos próximos três anos, inclui compra de máquinas e equipamentos especializados, treinamento e capacitação da equipe, e crescimento via fusões e aquisições com outras empresas do setor no Brasil. O aporte da Stratus é a parte inicial deste projeto.

"A Graúna Aerospace lidera a consolidação do setor de aeropeças no Brasil e já nasceu como uma das maiores empresas nacionais do setor", afirma Urbano Araújo, diretor Comercial e fundador da Graúna Aerospace. "O Brasil já é reconhecido por sua capacitação e tecnologia nesse setor e existe grande potencial de aumento nas exportações, além obviamente do crescimento que deve ser proporcionado pelas vendas para a própria Embraer", destaca ele.

De acordo com Jorge Zapata, da Stratus, "com a Graúna, adicionamos à carteira do fundo Stratus VC uma empresa que pode se tornar a principal plataforma de consolidação do setor de peças aeroespacial brasileiro, e com grande potencial de se tornar um fornecedor internacional para o setor. Os fundadores da Graúna não só tem um plano ambicioso para a empresa nesse sentido, como têm capacidade demonstrada de implementação, comprovada através da recente fusão de empresas que originou a própria Graúna e do contrato com a Pratt & Whitney Canadá".

O aporte na Graúna é o mais recente realizado pelo Stratus VC, fundo apoiado pela Finep, que investiu cerca de R$ 24 milhões em empresas inovadoras. No total, são oito empreendimentos em carteira: Graúna, Connec, Senior Solution, Scua, Innovaction, Neovia, .comDominio e a ITMídia. O Stratus VC realizou ainda aporte na empresa de software Pulso, recém-adquirida pela Senior Solution. Além da Finep, estão entre os cotistas a Fapes, MIF/BID, Bovespa, Grupo PEBB, Banco Privado Português, Sebrae, entre outros.

A Finep apóia fundos de venture capital por meio da Finep Investimentos, estrutura que deve beneficiar, nos próximos três anos, cerca de 100 empresas inovadoras. Já foram comprometidos cerca de R$ 100 milhões em 10 Fundos de Venture Capital. Desses, seis estão em operação: GP Tecnologia, Stratus VC, SPTec, Rio Bravo Investech II, Novarum e CRP Venture VI aportaram recursos em 24 empresas inovadoras. Há ainda outros quatro fundos já aprovados e em fase de captação financeira.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia