Entidades antitruste da Europa vão emitir até dia 5 de fevereiro parecer sobre a proposta de compra da Corus Group feita pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) em meados de novembro do ano passado. O comunicado foi feito pela Comissão Européia, com sede em Bruxelas. No mês passado, a CSN ampliou sua oferta à siderúrgica britânica para 515 pence por ação, o correspondente a 4,9 bilhões de libras esterlinas (US$ 9,6 bilhões).

A Tata Steel, que também está interessada na compra dos ativos da Corus, já obteve a bênção da Comissão Européia para levar adiante sua proposta realizada em outubro. A oferta inicial, de 455 pence por ação, feita no dia 20 daquele mês, foi elevada a 500 pence no início de dezembro.

CSN e Tata aguardam o próximo dia 30, data limite estabelecida pelo órgão regulador de fusões e aquisições do Reino Unido para que os interessados façam novas ofertas pela Corus. Apesar de as empresas não se pronunciarem oficialmente por questões estratégicas, há rumores de que a indiana Tata possa ampliar em breve sua oferta em até 10%, o que poderia provocar um novo contra-ataque do grupo brasileiro.

Há uma possibilidade de que a disputa pela Corus se transforme em leilão, caso a disputa pelo ativo se torne acirrada próximo do dia 30. Bancos e consultores contratados pelas duas empresas devem passar as próximas semanas estudando até onde podem elevar suas apostas. Mas a apresentação das propostas deve ser deixada mesmo para a última hora.

Autor(es): Valor Econômico

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional