Maior evento mundial do setor de máquinas-ferramentas e transformação de metais, a EMO Hannover 2007 terá o dobro de participação de empresas e visitantes brasileiros em relação à edição anterior, realizada em 2005. Pelo menos essa é a expectativa da Deutsche Messe/Hannover Fairs do Brasil que, na semana passada, reuniu jornalistas e empresários para apresentar o evento que se realizará de 17 a 22 de setembro, em Hannover, Alemanha.

Segundo Fred Steiner, presidente da VDW - Associação Alemã da Indústria de Máquinas-Ferramenta, o Brasil conquistou importante posição no ranking mundial desse setor, sendo hoje o 13º entre 24 países produtores de máquinas. "Até pela posição que ocupa, a indústria brasileira precisa estar representada na EMO, ocupar esse espaço, visando ampliar sua participação no mercado mundial", disse.

Na avaliação do presidente da VDW, a EMO 2007 vai ser realizada num momento em que a situação global é favorável à industria de máquinas. No ano passado, de acordo com Steiner, a venda de máquinas cresceu 5% em todo o mundo.

Steiner afirmou várias vezes, durante a apresentação, que a EMO é o maior evento mundial da indústria de máquinas-ferramentas. E deu números: 40% mais expositores que sua concorrente dos EUA (2001 contra cerca de 1300); 35% de visitantes estrangeiros, contra 20% da concorrente japonesa. Destacou ainda a área de exposição, de cerca de 500 mil m², quase o dobro das principais concorrentes.

Outro ponto importante é que a feira - ao longo de seus 30 anos de realização - tem sido a grande plataforma mundial para o lançamento de tecnologias do setor. Entre outros, Steiner cita as primeiras máquinas com duplo cabeçote, em 1977; a operação remota, em 1987; os CNCs operando em PCs e a usinagem sem refrigeração, em 1995.

PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA - Constantino Baümle, diretor da Hannover Fairs do Brasil, informa que sua empresa está mantendo contatos com cerca de 40 empresas brasileiras. "Acredito que pelos menos 10 empresas nacionais estarão expondo na EMO 2007", diz, lembrando que até o momento cinco já fecharam contrato. São elas: Indústrias Romi, Ergomat, Maquenge, Taurus Wotan e Arthur Klink. O espaço dos estandes das que já confirmaram participação, 470 m², já é o dobro do ocupado em 2005.

"Vamos destacar nossas máquinas das linhas E e M que têm tido excelente acolhida no mercado europeu", afirma Mário Knoll, gerente de Vendas e Marketing Internacional de Máquinas-Ferramentas da Indústrias Romi. No estande de 200 m² - cerca de 10% maior que em 2005 - a empresa deve expor seis ou sete máquinas. Para Knoll, a EMO se caracteriza por ser uma feira realmente internacional, visitada por grande número de estrangeiros, com destaque para aqueles vindos de alguns importantes mercados para a Romi, caso do Oriente Médio.

Já a Ergomat, que pela quinta edição consecutiva estará em Hannover, deve expor três máquinas: o recém-lançado torno automático a cames A 25 E, com comandos eletrônicos; o centro de torneamento TBC 42 (equipado com ferramentas acionadas) e o torno automático de carros múltiplos TBA 42. Alfredo Ferrari, diretor de Vendas, diz que a presença da Ergomat na EMO se justifica pelo fato "de ocorrer em nosso mais importante mercado no exterior, que é a Alemanha, além de atrair visitantes de todo o mundo".

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Feiras & Eventos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Feiras & Eventos