A Vale continua mirando na China para escoar a maior parte das exportações de ferro. "Não há qualquer sinal de desaceleração na economia chinesa nem de redução nos nossos embarques", afirmou Barbosa ao ser perguntado sobre possível desaceleração do crescimento do mercado chinês. Pelo contrário, a produção de minério deve crescer mais 13% neste ano, para 300 milhões de toneladas. Um terço irá para a China, num crescimento de 30% de acordo com as perspectivas da empresa reveladas por Barbosa.

Outra boa notícia que o executivo contou na coletiva sobre o desempenho financeiro da companhia foi a valorização da Vale a partir da compra da Inco. Desde o anúncio da aquisição, em agosto, o valor de mercado da empresa cresceu 15%. "Tem correlação com a aquisição, pelo níquel ter uma oferta escassa, por ter proporcionado diversificação geográfica e de produtos", afirmou. De fato, o preço do níquel tem disparado nas últimas semanas.

Autor(es): Investnews

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas