O grupo Votorantim, do empresário Antonio Ermírio de Moraes, vai investir no Pará, em 2007, R$ 40 milhões. O grupo vai instalar uma fábrica de cimento no município de Barcarena, que deverá entrar em operação até o final do ano.

O anúncio foi feito na terça-feira (27) à governadora Ana Júlia Carepa, em audiência no Palácio dos Despachos, que contou com a presença do diretor de Planejamento Estratégico do grupo, Luiz Alberto de Castro Santos e de Eduardo Maciel, da Votorantim Participações. A fábrica terá capacidade para produzir 300 toneladas de cimento por ano. Hoje, o Pará dispõe de duas fábricas de cimento. Com a implantação, serão gerados 60 empregos diretos e 300 indiretos, segundo cálculos da empresa.

Na audiência com a governadora, que foi acompanhada pelo secretário Maurílio Monteiro, da Indústria e Comércio; por Marcílio Monteiro, de Projetos Estratégicos, e José Raimundo Trindade, da Secretaria da Fazenda, os diretores da Votorantim solicitaram que o governo ajude com a concessão de incentivos fiscais e aceleração na aprovação dos estudos técnicos para a implantação definitiva da empresa no Pará.

A governadora disse que há critérios para a concessão de incentivos fiscais. Entre eles, aqueles em que a empresa beneficiada deverá gerar empregos e contrapartida social, dentro da nova filosofia de governo, que é mudar o modelo econômico de desenvolvimento do Estado. “As obras do PAC (Plano de Aceleração da Economia) vão gerar demanda para o consumo de cimento, e isso vai contribuir para a geração de emprego e renda aos paraenses”, disse Ana Júlia.

O pedido de benefícios fiscais está em estudo na Secretaria de Indústria e Comércio. “Depois que a Seicom liberar os estudos técnicos, vamos avaliar a concessão dos benefícios fiscais”, disse o secretário da Fazenda, José Raimundo Trindade.

O secretário Maurílio Monteiro pediu um prazo de, no máximo, 30 dias para apresentar um relatório sobre os estudos técnicos que irão viabilizar a implantação da fábrica. “O governo vê com bons olhos as empresas que querem investir no Pará e contribuir para o nosso avanço tecnológico e científico”, declarou.

Nos próximos três anos, a Votorantim pretende dobrar a sua capacidade de produção de cimento no Pará. “Hoje o cimento que o grupo comercializa no Estado vem da nossa fábrica em Sobral, no Ceará. Agora os paraenses poderão produzir aqui mesmo o cimento. Com o aumento da produção, nossa meta é exportar, via porto de Barcarena, o excedente para o exterior”, informou Santos. Ele disse ainda que o Pará foi o Estado que apresentou maior crescimento no setor de construção civil e isso demanda cimento. Enquanto no país a média de crescimento do setor foi de 9%, o Pará cresceu entre 11 e 12 pontos percentuais.

Autor(es): Assessoria de Imprensa

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia