A Acesita alcançou, no primeiro trimestre do ano, receita líquida de R$ 1.092,0 milhões, e o ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), de R$ 311,1 milhões, representando os melhores da história da empresa. Já o lucro líquido, de R$ 224,5 milhões, apresentou crescimento de 78,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Com grande atividade e o bom comportamento de preços e demanda, o segmento dos aços elétricos foi o destaque do trimestre. Já os aços inoxidáveis mantiveram a boa performance registrada desde o ano anterior, mas com inflexão da curva de demanda verificada a partir de fevereiro e queda dos preços base nos principais mercados internacionais.

Os negócios de aços inoxidáveis mantiveram-se, ainda, pressionados pelas altas sucessivas do preço do níquel, liga utilizada na fabricação dos aços inoxidáveis austeníticos e principal componente de custo da Acesita.

Diante desse quadro, a agilidade no uso da flexibilidade operacional da Acesita – que pode produzir tanto os aços inoxidáveis como os aços elétricos de grão orientado e de grão não orientado – foi fundamental para a concretização dos resultados alcançados e o aproveitamento das boas oportunidades de negócios surgidas no período.

Independentemente do comportamento futuro dos mercados, a Acesita manterá sua estratégia de atuação centrada no aprimoramento da prestação de serviços, na ampliação do portifólio de produtos e no incremento do relacionamento com seus clientes, especialmente no Brasil e na América do Sul. Para tal, estão programados investimento de R$ 263,4 milhões para 2007 em projetos de aumento da capacidade de produção de aços silícios e de início de produção de novas espessuras e larguras dos aços inoxidáveis entre outros, dos quais R$ 44,1 milhões foram realizados no primeiro trimestre.

Outro fato importante do trimestre foi a reeleição dos diretores da Companhia pelo Conselho de Administração, em 25 de abril. Gilberto Audelino Correa, depois de cinco anos à frente da Diretoria Financeira e de Relações com Investidores, e há dois anos acumulando a Diretoria de Recursos Humanos e Administração, optou por não ter seu mandato renovado. Para seu lugar na Diretoria Financeira, foi eleito o Sr. Guy Broutechoux, que terá a sua eleição e posse condicionadas a obtenção de visto pertinente ao cargo de diretor junto às autoridades competentes. Temporariamente o Sr. Sérgio Mendes acumulará os cargos de Diretor de Negócios, Financeiro e de Relações com os Investidores. Para a Diretoria de Recursos Humanos e Administração, foi eleito o Sr. Rui Santiago, ex-executivo da Empresa.

Autor(es): ABM - Associação Brasileira de Metalurgia e Materiais

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia