A nova geração de conexões em aço carbono da Parker, formada pelas linhas EO-Plus e EO2-Plus, se caracteriza pela máxima segurança sob pressões nominais de até 800 bar, pela maior resistência à corrosão, por menores torques e pela facilidade de montagem.

Segundo a empresa, o desempenho da nova geração de conexões excede os requisitos das normas DIN 2353 e ISO 8434-1, têm fator de segurança 4:1 e podem ser usadas nas seguintes pressões máximas: até 500 bar na série leve (L); até 800 bar na série pesada (S); até 420 bar para os tamanhos 20S e 38S.

As conexões EO-Plus, montadas em tubos métricos, utilizam anilhas PSR para cravamento no tubo e vedação metal-metal. As conexões EO2-Plus, também montadas em tubos métricos, utilizam anilhas EO2 para cravamento no tubo e vedação metal-borracha. EO2-Plus, faz parte do Programa Vazamento Zero da Parker.

Conforme a empresa, este ganho de desempenho de pressão só foi alcançado através do uso de metais mais resistentes em combinação com um tratamento especial aplicado em cada um dos componentes. A resistência à corrosão obtida com o tratamento CF (Chromium6 Free), com cromo trivalente, é ainda maior que o tratamento A3C, com cromo hexavalente. O novo processo garante índices de resistência muito superiores aos requeridos por norma em testes de névoa salina (salt-spray). O novo tratamento superficial da Parker atende às resoluções adotadas pela Comunidade Européia.

Outra inovação presente na nova geração de conexões Parker é o processo EO-LUB, que permite redução no torque de aperto em até 25%, com a aplicação de um lubrificante na rosca das porcas de tamanhos grandes (25S, 28L, 30S, 35L, 38S e 42L). Além disso, a geometria especial das anilhas PSR, utilizadas nas conexões EO-Plus, previne o cravamento da anilha no tubo.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Controle & Instrumentação
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Controle & Instrumentação