O fortalecimento do balanço patrimonial da Usiminas permitiu à companhia financiar seu programa de investimentos, cujo foco é a modernização de suas plantas e a expansão da capacidade de produção de aço para 14,7 milhões de toneladas/ano, dos atuais 9,5 milhões. Acreditando nestes fatores, a agência de classificação de risco Moodys Investor Service elevou o rating de dívida em moeda estrangeira da empresa de Ba1 para Ba2.

Apesar de compreender a aversão ao risco por parte do corpo gerencial da empresa, a agência defende que tal classificação incorpora o fato da empresa não possuir matérias-primas importantes ao seu processo produtivo, como minério de ferro e carvão, e sua dependência da economia brasileira, já que 72% da sua produção atende ao mercado doméstico.

Autor(es): Monitor Mercantil

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia