Em todo o mundo, a mineração passa por um ciclo de prosperidade sem precedentes, ostentando recordes constantes na produção e aumento da demanda. Também no Brasil tem se confirmado como um dos principais pilares da economia, sendo importante gerador de divisas e de empregos. Seu crescimento tem se mostrado elevado, da ordem de 9% em 2005 e, de 6%, em 2006, sendo responsável por mais de 20% do superávit comercial do País.

“Confirmando o excelente momento da atividade no mundo, o volume de investimento previsto para os próximos quatro anos no Brasil não tem precedente: US$ 28 bilhões”, destacou o diretor-executivo da ABM, Horacídio Leal Barbosa Filho, ao dar as boas-vindas aos participantes do XXXVII Seminário de Redução de Minério de Ferro e Matérias-Primas  e do VIII Simpósio Brasileiro de Minério de Ferro, dia 18, em Salvador (BA).

Conforme ressaltou, a mineração, como já vem ocorrendo em outros setores, como siderurgia e o petróleo, também já enfrenta dificuldades em encontrar mão-de-obra qualificada, em todos os níveis, para sustentar esse crescimento.

Sensível a essa questão, a ABM vem colaborando para diminuir a carência de profissionais na área. Dois cursos de pós-graduação em siderurgia, em parceria com a FEI, em São Paulo, e com a UFOP, em Minas Gerais, estão disponíveis.

“Estamos estudando a viabilidade de montar outros cursos de pós-graduação, um deles na área de mineração e, outro, na área de transformação metal-mecânica. A Associação também mantém em sua grade de cursos regulares treze títulos específicos para a área mineral. Tudo isso, em consonância com o plano diretor da entidade, que preconiza maior participação da entidade na mineração”, frisou Leal.

Outra informação importante para o setor é que a ABM participou, no início do mês, do lançamento e fará parte do Conselho do Pólo de Excelência de Mineração e Metalurgia do Governo de Minas Gerais. O Pólo congregará pesquisadores e instituições de P&D objetivando consolidar um ambiente favorável ao aumento de competitividade, agregação de valor e geração de novos negócios nas cadeias produtivas mineral e metalúrgica.

Leal anunciou que a revista Metalurgia & Materiais também abrirá mais espaço para a discussão de questões da área de tecnologia mineral, conforme ficou estabelecido em seu planejamento anual.

A mineração também participa do PNCO - Programa de Certificação de Operadores desenvolvido pela Associação para melhorar a qualificação profissional das pessoas que atuam nos processos produtivos. Atualmente, estão sendo certificados operadores em sete ocupações, entre eles, os que trabalham na pelotização.

“Temos ainda o Estudo dos Indicadores da Siderurgia Brasileira - projeto de benchmarking desenvolvido em parceria com a PUC-Rio e apoio da Finep - que cobre todo o fluxo de produção siderúrgica, iniciando por minério de ferro e aglomeração, carvões e coqueria e redução de minério”, ressaltou Leal, complementando que todas essas ações demandam uma forte interação entre empresas e universidade.

“Essa integração é um dos principais propósitos deste encontro e, especialmente, da ABM, em consonância com a sua missão de promover e difundir o conhecimento técnico-científico na área de metalurgia e materiais. Por isso, conclamo as duas Divisões Técnicas que organizaram este evento para que também apóiem e colaborem com o desenvolvimento das pesquisas preconizadas pelo Estudo dos Indicadores da Siderurgia”, finalizou

Autor(es): ABM - Associação Brasileira de Metalurgia e Materiais

facebook      twitter      google+

Feiras & Eventos
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Feiras & Eventos