Rita Bridi

Está prevista para setembro a conclusão das obras de expansão do pátio utilizado para estocagem das bobinas com os tubos que a Flexibras Tubos Flexíveis produz para a Petrobras. Com a obra, a empresa vai ampliar em 23 mil m2 a área para estocagem das bobinas, informou o diretor executivo da Flexibras, Honório Ramos Neves.

A Flexibras, que pertence ao grupo francês Technip, e opera no Espírito Santo desde 1986, está instalada na Vila Rubim, em área dentro do complexo portuário de Vitória. A indústria concluiu recentemente as obras de duplicação, que demandaram investimento de US$ 40 milhões e possibilitaram ampliar a capacidade para produzir anualmente 450 quilômetros de tubos flexíveis e cabos umbilicais. A produção atual é de 400 quilômetros.

Com o aumento da capacidade produtiva, a indústria teve que ampliar também o pátio de estocagem, com o aterro de uma área marítima que, por ser acidentada, não oferece condições para a atracação de embarcações. A empresa concluiu o enrocamento (estrutura que protege aterros dos efeitos da erosão) da área que começa a ser aterrada nas próximas semanas.

"A Flexibras aumentou a produção e ficou sem área para estocar as bobinas. A alternativa foi ampliar o espaço com o aterro que estamos fazendo", explicou Neves.

Indústria

A Flexibrás é a única empresa no Brasil que fabrica tubos flexíveis e cabos umbilicais para a produção de óleo e gás. Os tubos são enrolados em bobinas que podem pesar até 250 toneladas, dependendo do diâmetro e do comprimento dos tubos. Cerca de 99% da produção da Flexibras é comprada pela Petrobras.

Além da Flexibras, o grupo Technip tem, no Estado, outra unidade, a Brasflex - localizada em Novo México, em Vila Velha. A empresa produz, pelo processo de laminação a frio, um fio de aço especial, denominado zeta.

Autor(es): Jornal A Gazeta

facebook      twitter      google+

Armazenagem & Logística
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Armazenagem & Logística