O grupo siderúrgico norte-americano Alcoa anunciou hoje que o seu resultado líquido atingiu os 2,56 mil milhões de dólares (1,73 mil milhões de euros) no último exercício fiscal, mais 19% do que no ano anterior, tendo superado as expectativas dos analistas.

Cristina Barreto

Segundo um comunicado emitido pela siderúrgica norte-americana, o seu lucro líquido por acção foi de 2,95 dólares por acção, superior aos 2,47 dólares alcançados no exercício anterior e aos 2,83 dólares previstos pelos peritos.

A receitas da gigante norte-americana do alumínio atingiram em 2007 o valor recorde 30,7 mil milhões de dólares (20,8 mil milhões de euros), mais 1,2% do que um ano antes.

O presidente e director-executivo da Alcoa, Alain Belda, afirmou no documento que "pelo segundo ano consecutivo, a Alcoa alcançou um volume recorde na facturação, nos resultados por operações continuadas e no fluxo de caixa gerado".

"Temos investido em novas fábricas, reforçado a produção noutras, modernizado as operações, renegociado os acordos a longo prazo de energia e construído novas instalações energéticas para aumentar o nosso acesso a fontes de energia a preços competitivos, ao mesmo tempo que continuamos a investir nos mercados em crescimento, como é o caso do Brasil, China e Rússia", acrescentou o mesmo responsável.

No quarto trimestre, o lucro da Alcoa cifrou-se em 632 milhões de dólares (428,9 milhões de euros), ou 75 cêntimos por acção, o que representa uma melhoria de 74% face ao mesmo período do ano anterior, no qual o resultado líquido foi de 359 milhões de dólares (243,6 milhões de euros), ou 41 cêntimos por acção.

A facturação neste trimestre atingiu os 7,4 mil milhões de dólares (5,02 mil milhões de euros), ligeiramente inferior às vendas de 2006 que totalizaram os 7,8 mil milhões de dólares (5,29 mil milhões de euros).

Autor(es): Diário Econômico

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia