A pesquisa "The 2007 Value Creators Report" , realizada anualmente pelo Boston Consulting Group, apurou que a Vale foi a empresa que mais gerou valor para seus acionistas no mundo, dentre as empresas com valor de mercado superior a US$ 50 bilhões (as chamadas large-caps). De acordo com o levantamento, entre 2002 e 2006, a mineradora brasileira deu 54,6% ao ano, em média, de retorno ao capital aplicado pelo acionista; de 2002 a 2007, conforme cálculos feitos pela Vale, a mineradora permaneceu no topo do ranking, ao oferecer aos acionistas retorno de 64,3% ao ano, em média.

Com isso, a Vale conquistou o primeiro lugar no ranking mundial, ficando à frente de gigantes globais como América Móvil ( México); Apple e Boeing (EUA); Toyota, (Japão); British American Tobacco-BAT, (Reino Unido), além de BHP Billiton e Anglo American.

A pesquisa teve como objetivo a avaliação do desempenho de companhias consideradas large-caps. O estudo analisou o desempenho de 610 companhias, retiradas de um universo de 5 mil empresas em 44 países, entre os anos de 2002 e 2006.

O cálculo usa como base o retorno total ao acionista, ou seja, o ganho proporcionado ao acionista pela variação do preço das ações e o recebimento de dividendos durante determinado período. De 2002 a 2007, conforme cálculos feitos pela Vale, ela permaneceu no topo do ranking, ao oferecer aos acionistas retorno de 64,3% ao ano, em média.

Wall street. A Vale foi a empresa estrangeira preferida pelos investidores de Wall Street em 2007.

O ranking da negociação média diária de ADRs em 2007 mostra que a mineradora brasileira ficou em primeiro lugar, seguida pela Petrobras. A procura pelos papéis da Vale superou com folga o desempenho de gigantes como a BHP Billiton, a maior mineradora do mundo e que ficou na sétima posição, e a filandesa Nokia, a maior fabricante mundial de celulares e que aparece em terceiro lugar.

Autor(es): Jornal do Commercio

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas