A Tata Motors Ltd., maior fabricante de caminhões da Índia, pretende tomar um empréstimo de US$ 3 bilhões de nove bancos para financiar a compra das marcas de carros de luxo Jaguar e Land Rover, divisões da Ford Motor Co., segundo três pessoas que têm conhecimento direto sobre o negócio.

A empresa pretende levantar o dinheiro junto a vários bancos como o Citigroup Inc. e o JPMorgan Chase & Co., disseram essas pessoas, que não quiseram se identificar devido ao fato de a informação ainda não ter sido tornada pública.

Tomar um empréstimo bancário em detrimento de emitir bônus é mais barato para a Tata Motors, após os credit default swaps vinculados a sua dívida terem subido e alcançado um recorde devido ao receio de um rebaixamento da classificação de crédito. As ações da maior fabricante de caminhões da Índia recuaram 11% após a Ford Motor Company ter anunciado que a Tata Motors é a ofertante preferencial, em 3 de janeiro passado.

"Esse pode ser um negócio grande demais para a Tata Motors engolir", disse Arvind Jain, analista da Religare Securities Ltd. em Mumbai.

"A Tata não será capaz de obter terceirização na Índia e provavelmente não conseguirá lançar as marcas Jaguar ou Land Rover no mercado indiano pelo menos nos próximos dois ou três anos. Além disso, as obrigações financeiras relativas a aposentadorias geradas pela aquisição podem ser enormes."

Forma de pagamento

A Tata Motors também está negociando com o Bank of Tokyo Mitsubishi UFJ Ltd., o BNP Paribas SA, o Calyon, o ING Groep NV, o Mizuho Financial Group Inc., o Standard Chartered Plc e o State Bank of India Ltd. para obter o empréstimo, segundo essas pessoas.

As ações da Tata Motors avançaram 0,1%, para 702,65 rúpias ontem em Mumbai. Debasis Ray, porta-voz da Tata Motors em Mumbai, recusou-se a fazer comentários.

A Tata Motors pagará menos de 2 pontos percentuais a mais do que a taxa interbancária do mercado de Londres (Libor) na forma de juros, além de uma tarifa pela concessão do empréstimo, disseram essas pessoas.

Cerca de US$ 2,5 bilhões financiarão o custo da aquisição e o restante será utilizado como capital de giro, disseram as pessoas. A Libor de três meses, referencial para empréstimos corporativos, foi fixada em 3,01% anteontem.

Mark Fields, presidente da Ford Motor Company nas América e vice-presidente executivo, disse, em recente visita ao Brasil, que as discussões com a indiana Tata Motorssão construtivas e tem tido muito progresso.

Autor(es): Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia