O diretor-presidente da Sinosteel Brasil Metalúrgica Trading, a 2ª maior importadora de minério de ferro da China, Weixian Zhang, disse que a empresa estuda projetos de exploração de minério de ferro no Brasil para posterior desenvolvimento de parcerias. As declarações foram feitas durante o 14º Congresso Mundial de Aço, promovido pela consultoria inglesa CRU, no Copacabana Palace, no Rio.

Zhang explicou que a sua empresa poderá atuar sozinha em atividades de exploração de minério de ferro, níquel e manganês, ou ainda entrar em projetos já existentes. Ele, porém, não quis mencionar nomes de empresas que poderia atuar como parceiras da trading chinesa. "Estamos pesquisando os projetos ainda", afirmou.

Ele também não quis revelar montantes de investimentos no Brasil, mas afirmou que "o volume de recursos não será desprezível". Segundo o executivo, a Sinosteel tem compras de 25 milhões de toneladas a 30 milhões de toneladas anuais de minério de ferro.

Exportações

As exportações chinesas de aço não devem crescer muito em 2008 ante o verificado em 2007, quando registraram montante em torno de 70 milhões de toneladas (volume 45% maior do que 2006). A análise é do diretor-presidente da Sinosteel Brasil Metalúrgica Trading, Weixian Zhang.

Segundo ele, o governo chinês tem efetuado uma série de restrições em termos de tarifas que podem desestimular as vendas externas de aço chinesas. "Além do aumento de tarifas, temos outros fatores, como aumento de custos", disse, lembrando do aumento dos preços de minério de ferro e carvão em 2007 e este ano.

Segundo executivos, o aumento de custos em matérias-primas importantes para o setor siderúrgico, como o minério de ferro, já tem preocupado as empresas chinesas, que trabalham com exportações de aço. (Alessandra Saraiva)

Autor(es): Agência Estado

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional