KARINA MATIAS

Motivos para comemorar o Dia Nacional do Aço, celebrado hoje em todo o País, não faltam na unidade mogiana da Indústria Nacional de Aços Laminados (Inal). Com investimentos de R$ 6,5 milhões, a fábrica instalada na Vila Industrial está preparada para atuar em mais um segmento: o de telhas produzidas com aço galvanizado, galvalume e pré-pintado. A produção na unidade mogiana já começou, pequena escala. Para tal, a planta foi ampliada no ano passado, com a construção de 3 mil metros quadrados para armazenamento e instalação de três máquinas formadoras de telhas De acordo com o diretor da empresa, Wilson Carnevalli Filho, a intenção é que em até três anos, a Inal seja líder no segmento, com produção de um total de 20 mil toneladas por ano de telhas.

A atuação já implicou na contratação de 20 funcionários na fábrica de Mogi, que conta atualmente com 335 pessoas.

O número de contratados deve aumentar ainda mais nos próximos dois anos, quando novos investimentos são planejados para o setor. Carnevalli Filho confirmou ontem o projeto de ampliar em até 40% a capacidade de produção da fábrica na Cidade. Como já havia adiantado em entrevista a O Diário, em novembro do ano passado, os investimentos precisam ser autorizados pela direção - que é controlada pelo grupo CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) - o que deve ocorrer ainda este ano "Acredito que uma vez aprovado o projeto, em 18 meses já estaremos operando com esta capacidade", destacou. Atualmente, a empresa produz 550 mil toneladas por ano, montante que pode atingir a casa dos 770 mil toneladas anuais.

A fábrica em Mogi também deverá produzir o Steel Deck, um elemento estrutural de aço, utilizado na construção civil como fôrma e armação para lajes de concreto. Em parceria com uma universidade, o Steel Deck está em fase de testes para a homologação de sua comercialização, que deve começar já no próximo semestre. Segundo ele, o produto permite agilidade e economia em uma obra, uma vez que substitui a estrutura de madeira utilizada para sustentação de lajes, que depois é retirada. No caso deste elemento, isto não é necessário. "A própria estrutura do Steel Deck sustenta a concretagem, o que agiliza muito a obra", argumenta.

Para este lançamento e o de telhas, o foco principal é o mercado de construturas e fabricantes de estruturas metálicas (60%), varejo e consumidor final (40%). "Nossa expectativa é de que esses produtos registrem faturamento neste ano, de cerca de R$ 20 milhões", revela. Para 2011, a empresa espera chegar à marca de R$ 70 milhões;

Voltada à construção industrial, a Inal produzirá telhas comuns (97%), trapezoidais e onduladas, utilizando aço galvanizado, galvalume e telhas coloridas com aço pré-pintado, visando atender o mercado interno. "Ainda estamos no início (da produção em Mogi), pegando os pedidos", explicou Carnevalli Filho. A produção de telhas é realizada também em outras localidades, como Recife.

Outro impulso à unidade mogiana é a entrada da CSN no ramo de aços longos, prevista para o início do ano que vem. No município deverão ser estocados e distribuídos o material comumente utilizado na construção civil, como vergalhões e barras chatas.

Para Carnevalli Filho, os negócios envolvendo o aço continuam aquecidos em todo o País. A unidade de Mogi sente o reflexo deste mercado. "Estamos operando em níveis altos de produção. As vendas da Inal neste primeiro trimestre estão 8% superiores ao mesmo período no ano passado", concluiu.

Comemoração

O Dia Nacional do Aço é celebrado hoje, porque foi exatamente em um 9 de abril, há 67 anos, que o então presidente Getúlio Vargas criou a CSN, depois privatizada em 1993. Eventos na empresa em Volta Redonda comemoram a data.

Fundada em novembro de 1957, a Inal iniciou suas atividades em São Paulo. Vinte e um anos depois, sua sede foi transferida para Guarulhos e, após outros 21 anos, para Mogi. Um ano antes de chegar ao Município, foi adquirida pela CSN. Hoje, a indústria detém 13% do mercado de distribuição de aço no País. A empresa atua na área de processamento e distribuição de aços planos. Sua linha de produtos – entre os quais bobinas, rolos, chapas, tiras, folhas metálicas, tubos e telhas – atende ao setores industriais, como automobilístico, autopeças, construção civil, máquinas e equipamentos eletromecânicos.

Fonte: Diário de Mogi

Autor(es): Assessoria de Imprensa

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia