A Indústrias Nardini comemora este mês 100 anos de atividades. Nascida como uma oficina de fabricação de pequenos utensílios agrícolas, a empresa chegou à posição de um dos principais fabricantes de máquinas-ferramentas do Brasil, já tendo exportado seus produtos para todos os continentes.

A empresa chega à idade centenária renascida da grave crise que, na década de 1990, quase a levou à falência, quando chegou a ficar seis meses paralisada. Nos últimos anos, a Nardini vem retomando o rumo do crescimento, tendo investido para ampliar e modernizar sua fundição e, no ano passado, adquiriu a filial da italiana Sandretto, fabricante de injetoras de plástico. Hoje, a empresa emprega mais de mil funcionários e produz mensalmente 80 máquinas CNC, 160 convencionais e 30 injetoras.

HISTÓRIA - Fundada em 1908, no município de Americana, interior de São Paulo, a Nardini começou sua trajetória produzindo utensílios agrícolas simples como tesouras, foices, ferraduras e facões. Posteriormente, passou a fabricar implementos agrícolas movidos à tração animal, como arados, carpideiras e adubadeiras. Durante a II Guerra, porém, foi que a empresa descobriu sua real vocação com o início da produção de máquinas-ferramenta para atender a forte demanda do mercado interno na época, suprindo a lacuna deixada pelos produtos importados.

Hoje, a linha de produtos da Nardini é composta por tornos universais CNC e convencionais e fresadoras de médio e grande portes CNC e convencionais, além de máquinas injetoras de plástico. Desde 1997, a empresa não é mais gerida pela família Nardini. Naquele ano, uma nova gestão assumiu a direção, tendo à frente Renato Franchi, atual presidente da Indústrias Nardini.

O centenário da Nardini será comemorado no próximo dia 24 de julho, com a realização de um evento no Classic Hall, em Americana.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas