Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Montadoras investem em motores de alumínio

Mais notícias relacionadas a economia:

Definição de otimização restrita
Na microeconomia de uma empresa, conceito de otimização é usado para maximizar a produção e ...


O que é capital de risco verde
Junto com a ênfase na natureza ecológica da operação comercial, empresas que buscam capital de ...


Definição de valor contábil
Dois dos principais fatores que entram no cálculo do valor escrito, ou contábil, são depreciação ...


Ford, Peugeot Citroen, Fiat e Honda estão investindo na produção de motores de alumínio. A Peugeot Citroën, que já fabrica motores 1.4 em alumínio em Porto Real (RJ), deve nacionalizar também os motores 2.0, em 2009. A Ford, que desde 1999 mantém uma linha de fundição de alumínio, investirá R$ 600 milhões para produzir a família de motores Sigma, em Taubaté (SP). A Fiat, por sua vez, retomou a unidade de fundição de alumínio da Teksid, vendida em 2002, e planeja processar 5 mil t/ano de alumínio e 800 mil cabeçotes/ano. E a Honda Automóveis iniciou recentemente a fundição e usinagem de blocos e cabeçotes em Sumaré (SP).

"Para competir no mercado, todas as montadoras procuram fabricar veículos mais econômicos e com melhor qualidade. Como o motor de ferro fundido é muito pesado, o que significa maior peso bruto do carro e um consumo de combustível acima do propiciado pelo motor de alumínio, a substituição é uma tendência", disse Horácio T. Natsumeda, diretor da Honda Automóveis do Brasil ao AluAuto, publicação da Abal - Associação Brasileira de Alumínio.

Segundo o AluAuto, depois de vender a unidade de alumínio por US$ 453 milhões em 2002, o Grupo Fiat, impulsionado pelo forte crescimento do setor automotivo, decidiu investir R$ 50 milhões e abrir nova usina de peças automotivas fundidas em alumínio da Teksid, em local ainda a ser definido no estado de Minas Gerais. A nova fábrica, que deverá entrar em operação no segundo semestre de 2009, terá capacidade para processar 5 mil t/ano de alumínio e 800 mil cabeçotes/ano, que abastecerão exclusivamente as linhas de montagem da Fiat e da Iveco.

Já a Peugeot Citroen Brasil irá nacionalizar a fundição e a usinagem do motor EW10 (2.0), hoje fabricado pela matriz francesa. De acordo com a empresa, as aplicações do alumínio nos blocos de motores Peugeot "significaram redução aproximada de 31 kg nos veículos que se utilizam dos motores 1.4 e de 49 kg nos de motores 2.0". A montadora estima que essa diminuição de peso corresponda "a uma redução de 0,7 toneladas (1.4) e de 1 tonelada (2.0) na emissão de gás carbônico na atmosfera durante a vida útil do veículo. Ou, em termos de economia de combustível, menos 0,12 l (1.4) ou menos 0,19 l (2.0) a cada 100 km percorridos".

Segundo a publicação da Abal, a Ford não confirma oficialmente a escolha pelo metal - já noticiada pela grande imprensa -, mas os motores Sigma, já tradicionais na Europa, são associados ao uso do alumínio no bloco. Assim, segundo o AluAuto, o Brasil será o terceiro país a fabricar os novos motores da Ford, depois da Inglaterra e da Índia, o que garantirá, segundo a empresa, maior competitividade para a montadora no exterior.

Já a Honda - como noticiado pelo usinagem-brasil - nacionalizou a produção de blocos e de cabeçotes, depois de quase uma década de importação. A Honda Powertrain, inaugurada em maio de 2008, com capacidade para produzir 12.500 unidades mensais de motores e cabeçotes, ganhará uma segunda linha no segundo semestre de 2009, para atender também a fábrica que está sendo instalada na Argentina.

Fonte: AluAuto, publicação da Abal - Associação Brasileira de Alumínio

Associação Brasileira do Alumínio

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a economia:

Governo incentiva indústria farmacêutica

Foi lançado na última quinta-feira (11/4) um pacote de medidas com o objetivo de impulsionar a indústria brasileira no setor de saúde. A iniciativa do Governo ...
O que é liquidação na economia

Liquidação é o processo de tomada de ativos reais de um negócio para transformá-los em dinheiro, seja para pagar dívidas ou para obter um lucro pessoal. A ...
Definição de Integração Econômica

A integração econômica é um processo em que as barreiras ao comércio são reduzidas ou eliminadas para facilitar o comércio entre as regiões ou na ...
O que é colapso econômico

Um colapso econômico é uma situação em que a economia local, regional ou nacional passa por uma crise dramática, que afeta negativamente a capacidade das pessoas que vivem ...
O que é Mercantilismo

Mercantilismo é uma das maiores teorias econômicas que diz que a riqueza de uma nação pode ser medida pelo seu pronto fornecimento de capital. O mercantilismo afirma que a ...
O que é democracia econômica

Democracia econômica é uma filosofia de socioeconomia. Socioeconomia é o estudo e a exploração da economia quando vista no contexto de valores sociais humanos, comportamentos e interações. Dentro deste ...
JPMorgan nomeia novo presidente global de mercado de capitais

JPMorgan Chase & Co. (JPM), o maior banco dos EUA em ativos, continuou insuflando a gestão em seu banco corporativo e de investimentos, nomeando Kevin Willsey como o novo presidente ...

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google