Desenvolvedora do Pro/Engineer, a PTC está obtendo em 2008 o seu melhor resultado no mercado brasileiro. Todos os parâmetros são positivos, seja em faturamento, lucratividade ou número de licenças. "Já conquistamos cerca de 100 novos clientes este ano e devemos chegar a 130 até o final deste exercício, que se encerra em 30 de setembro", comemora Hélio Samora, diretor da PTC para a América Latina.

O diretor avalia que essa performance é resultado de uma composição formada "pelo poder da solução, facilidade de uso e preço competitivo". Samora frisa que esse conjunto tem levado muitos clientes a substituir soluções mid-range pela solução high end da PTC. "O mercado está se cansando das soluções mid-range, principalmente pelo custo e trabalho para fazer a integração, e optando pela nossa solução, totalmente integrada".

Samora explica que nos últimos anos a PTC adquiriu várias empresas, como Mathcad, Arbortext e IsoDraw, não economizando recursos para integrar esses softwares às suas soluções. "Nós investimos pesado para integrar esses softwares às nossas soluções para que nossos clientes não tenham que fazer esse investimento", argumenta. "A PTC sempre se caracterizou pela associatividade de suas soluções".

Para Samora, o detalhe é que o mercado tem percebido o valor dessa integração, tanto que no PTC Technology Day - evento realizado na semana passada - 40% dos participantes ainda não eram clientes da empresa.

Outro fator que tem impulsionado os negócios é que o mercado brasileiro está aquecido. Com isso, muitos clientes estão expandindo o número de licenças. Segundo o diretor, o setor de máquinas e equipamentos e a indústria automotiva têm respondido por grande parte dos negócios, somando-se a grandes empresas do setor aerospacial e de petróleo, que têm ampliado bastante o seu número de licenças. "Estamos presentes em todas as novas instalações da Petrobras", afirma.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas