A Usina Siderúrgica do Pará (Usipar), do grupo Cosipar, está terminando a construção da sua unidade de sinterização em Barcarena (PA), última parte do seu programa de ampliação de capacidade de produção de ferro-gusa, na qual foram investidos R$ 251,3 milhões. No final do ano, iniciará a segunda etapa do programa, com investimentos programados de US$ 150 milhões, equivalentes a cerca de R$ 240 milhões. Os investimentos na sua unidade de Barcarena, até 2012, totalizarão R$ 3,218 bilhões.

A Usipar começou a operar no Pará em meados do ano passado dois altos-fornos, com 320 metros cúbicos de volume interno cada um, e capacidade de produção de 250 mil toneladas por ano de ferro-gusa cada. A unidade de sinterização, que produz o material empregado como carga de alto-forno, recém-finalizada, terá capacidade produtiva anual de 900 mil toneladas de sinter produto e está preparada para a segunda etapa do programa, que consiste na construção de mais um alto-forno, com capacidade de produção anual de 500 mil toneladas de ferro-gusa. A meta para 2012 é que a companhia tenha a capacidade de produzir 1 milhão de toneladas de ferro-gusa por ano e esteja apta a fabricar 2 milhões de toneladas anuais de aço, que hoje ainda não está no seu portfólio.

financiamento. Do total investido pela empresa, R$ 30 milhões vem do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), "A importância do financiamento do BNDES é contar com o apoio do banco, pelo fato de ele acreditar no projeto, porque até então havia parado de financiar projetos de ferro-gusa" disse o diretor Financeiro e de Novos Negócios, Luis Guilherme Monteiro. Há 30 anos que o BNDES não financiava projetos do setor. Com isso em vista, o grupo Cosipar, vai realizar auditorias ambientais anuais e apresentar ao banco um programa de Melhoria de Governança da Usipar.

Nas usinas não-integradas categoria na qual se enquadra a Usipar o ferro-gusa, matéria-prima para a produção do aço, é solidificado em pequenos lingotes para comercialização. A Usipar faz parte do grupo Cosipar, ex-grupo Monteiro, que possui também a Companhia Siderúrgica do Pará, em Marabá (PA), com capacidade de produção anual de 450 mil toneladas de ferro-gusa.

O Brasil é o maior exportador mundial de ferro-gusa, com cerca de 40% do mercado. Os EUA são o principal destino das exportações e o maior importador mundial, absorvendo em torno de 69% do total exportado pelo Brasil e 33% do total comercializado globalmente.

Autor(es): Jornal do Commercio

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia