A ZF, que está comemorando 50 anos da ZF no Brasil, na semana passada, anunciou plano de investimento de R$ 753 milhões para os próximos cinco anos. Segundo a empresa, trata-se do maior montante de toda a história do grupo no País e também de todo o setor nacional de autopeças. O objetivo do grupo é o de ampliar as vendas na América do Sul em 65% e atingir faturamento superior a R$ 2,5 bilhões até 2013.O programa de investimentos envolve a ampliação da capacidade produtiva de suas unidades atuais, programas de qualidade e novos projetos para veículos de passeio, comerciais leves e pesados e máquinas agrícolas, além de permitir a ampliação de sua atuação no mercado de exportação.

"As operações da ZF vão muito além da fabricação de transmissões para veículos comerciais. Os nossos negócios na região cresceram e se diversificaram nos últimos anos. Entre as Divisões com maior aumento estão a ZF Lemförder, dedicada à produção de componentes de chassis e suspensão, e a ZF Sachs, fabricante de embreagens, ambas com foco também no segmento de veículos leves", informa presidente da ZF América do Sul, Wilson Brício, lembrando que o crescimento na América do Sul em 2007 foi de 30%, um dos melhores resultados do grupo no período.

Até 2012, a ZF pretende ser o maior fabricante em quase todos os seus segmentos de atuação da América do Sul. "Além de mantermos a nossa liderança nas linhas nas quais já somos líderes hoje, estamos trabalhando muito forte para, nos próximos anos, assumir o primeiro lugar ou ampliar sensivelmente a nossa participação de mercado nos demais que atuamos", observa.

CENTROS DE DESENVOLVIMENTO E EXCELÊNCIA - O crescimento previsto pela ZF para suas operações no Brasil envolve, além do aumento de capacidade e novas instalações, a ampliação dos centros de desenvolvimento no País em determinadas linhas de produtos, como transmissões pesadas, sistemas para máquinas agrícolas e componentes de suspensão e transmissão para veículos leves.

"A ZF brasileira é centro mundial de competência em eixos dianteiros direcionais tracionados e transmissões para o segmento de máquinas agrícolas, transmissões classic line para veículos comerciais e revestimentos de embreagens", afirma o executivo, acrescentando que " estamos exportando a transmissão Ecosplit 3 em forma de kits. Nosso objetivo é, a partir de 2009, fornecer o componente totalmente montado".

DUPLICAR AS EXPORTAÇÕES - A ampliação de capacidade e o lançamento de novos produtos estão vinculados ao plano da ZF no Brasil em ampliar também a sua participação nas exportações. A previsão é saltar de cerca de R$ 302 milhões em exportações, registrados no ano passado, para mais de R$ 660 milhões em 2010.

Com isso, a ZF deverá elevar de 19% para 30% a participação das vendas externas no seu volume total de vendas, com significativos resultados para o balanço de pagamentos do País. Cerca de 45% das exportações da ZF brasileira são para a Europa, seguida pela América do Sul, com 27,9%, América do Norte, com 22,1%, e Ásia/Pacífico, com 3,8%.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia