As Indústrias Romi encerrou o terceiro trimestre de 2008 com receita operacional líquida de R$ 199,8 milhões, valor 21,5% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior. "Os principais segmentos atendidos pela empresa mantiveram-se ativos no período e nossas vantagens competitivas no mercado interno, como produtos com tecnologia de ponta, rede própria de distribuição e financiamento atrativo, permitiram que a Romi apresentasse crescimento de vendas como o planejado", afirma o diretor-presidente da Romi, Livaldo Aguiar dos Santos.

No acumulado do ano, a receita operacional líquida foi de R$ 530 milhões, superando em 19,6% o resultado dos nove primeiros meses de 2007. O lucro líquido, de R$ 96 milhões, teve alta de 4,9%, já com o ajuste decorrente da aquisição da Sandretto.

O volume de vendas das três unidades de negócios da Romi teve elevação expressiva em 2008. Máquinas-ferramenta aumentou 11,7% em 2008 e 16,4% no terceiro trimestre. A venda de fundidos e usinados cresceu 10,8% nos nove primeiros meses do ano e 6,1% no trimestre, enquanto a de máquinas para plásticos subiu 9,8% no acumulado e teve decréscimo de 5,3% no trimestre, comparados com iguais meses do ano passado.

EXPORTAÇÕES - A receita com exportações da Romi alcançou R$ 30,2 milhões no terceiro trimestre, com expansão de 53% em relação ao mesmo período de 2007. Em dólar, as vendas externas subiram 64,8% no trimestre, somando US$ 17,3 milhões. Em 2008, 47,2% das exportações foram para os EUA, 32,7% para a Europa e 18,1% para a América Latina.

A Romi fechou o terceiro trimestre com elevação de 16,0% em sua carteira de pedidos. A unidade de máquinas-ferramenta teve alta de 33,4% na carteira, seguida pela unidade de Fundidos e Usinados, com 11,8%, enquanto a de máquinas para plásticos teve queda de 19,9%. A entrada de pedidos desta unidade no acumulado do ano, porém, cresceu 1,2%. No segmento de máquinas-ferramenta, a entrada de pedidos em 2008 cresceu expressivos 21,6%, e, de fundidos e usinados, 6,0%. No total, a entrada de pedidos da Romi teve aumento de 14,6% no trimestre e 14,7% nos nove primeiros meses do ano.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia