Mesmo com a situação de instabilidade no mercado financeiro internacional, a demanda por recursos do banco e "o apetite do setor privado para investir" permanecem firmes. A afirmação foi feita pelo presidente Luciano Coutinho, em entrevista coletiva, realizada no último dia 13, para a divulgação do desempenho do BNDES até outubro. "Até agora a crise não bateu na porta do BNDES. As consultas de investimento se aceleraram, inclusive no mês de outubro", afirmou.

Pelos indicadores do banco, no mês passado foi mantido o nível de crescimento dos investimentos, com desembolsos de R$ 10,2 bilhões. Tanto as consultas como as aprovações também aumentaram. Entre agosto e outubro, houve aumento de 40% nos ingressos de pedidos de financiamento em relação a igual trimestre do ano passado.

Nos primeiros dez meses de 2008, as liberações do BNDES somaram R$ 71,5 bilhões, com alta de 44% sobre igual período do ano anterior. O resultado já supera em 10% todo o volume desembolsado nos doze meses de 2007 (R$ 64,9 bilhões). O desempenho foi puxado pelos setores de infra-estrutura e indústria.

Os desembolsos da Finame, linha destinada a financiar máquinas e equipamentos - por isso, considerada pelo banco um termômetro da economia - também revelam que os investimentos ainda não foram afetados pelo cenário externo de crise. A aquisição de máquinas e equipamentos atingiu R$ 21,5 bilhões nos últimos 12 meses, com crescimento de 33% em relação ao período anterior.

"Chegaremos, certamente, a R$ 90 bilhões em desembolsos até o fim deste ano, um número que ultrapassa a nossa expectativa inicial. Provavelmente continuaremos tendo ao longo de 2009 demanda muito firme por investimentos, se considerarmos o volume de aprovações e de enquadramentos já efetuado", ressaltou o presidente do BNDES.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia