OSG Tungaloy amplia instalações fabris em SPA OSG Tungaloy investiu R$ 30 milhões na ampliação de suas instalações em Bragança Paulista (SP). Na semana passada, com a presença de Teruhide Osawa, presidente mundial da OSG, foram inauguradas oficialmente a nova unidade de produção de ferramentas especiais e o prédio do escritório central da filial brasileira e a OSG Tungaloy Academy - estrutura que engloba Centro de Desenvolvimento e auditório.

Segundo Coiti Fukushima, vice-presidente da OSG Tungaloy, em máquinas e equipamentos foram investidos R$ 20 milhões; as obras civis consumiram R$ 10 milhões. O novo prédio fabril, com mais de 3 mil m² de área construída, é totalmente climatizado, para garantir as tolerâncias das ferramentas especiais que lá já estão sendo produzidas. Sua entrada em operação amplia em 30% a capacidade de produção das ferramentas rotativas especiais na unidade paulista. Cerca de 25% do novo espaço estão reservados para futuras expansões. A transferência da linha de especiais para o novo galpão abre espaço para ampliar a capacidade de produção de ferramentas standards.

"Aqui pretendemos oferecer treinamento e aperfeiçoamento de alto nível", diz Fukushima, referindo à OSG Tungaloy Academy. Além do auditório para 60 pessoas (batizado de Álisson da Rocha Machado, em homenagem ao professor da UFU, colaborador da empresa), a estrutura contará com um centro de desenvolvimento equipado com três máquinas: um centro de torneamento Vulcanic 160 Gold, da Deb´Maq, e dois centros verticais Okuma, um de nove eixos e outro de cinco, além de equipamentos de presset e balanceamento ultraprecisos. "A Academy será um dos nossos diferenciais", afirma.

Na cerimônia de inauguração, o presidente da OSG Tungaloy Sulamericana, Yushiro Osawa, lembrou a que a empresa foi fundada há 70 anos. Em 1968, 30 anos depois, foi aberta a primeira unidade fora do Japão, nos EUA. Ao Brasil, a empresa chegou em 1973. "Agora estamos iniciando uma segunda fase, marcada pela construção do prédio do escritório central, da área fabril climatizada e da parceria com a Tungaloy, que nos permitirá oferecer ao mercado uma solução completa de usinagem", disse. "Acreditamos num futuro brilhante para o Brasil, apesar da crise que agora está chegando ao País".

Teruhide Osawa, presidente mundial da OSG, contou que foi ele que, em 1973, escolheu o terreno onde está a fábrica de Bragança Paulista. "Após 35 anos, estou emocionado com o crescimento do Brasil", disse. Informou ainda que o grupo hoje é formado por 57 empresas, sendo 42 fora do Japão, tendo alcançado o posto de quinto maior fabricante mundial de ferramentas rotativas e de líder mundial em machos para rosqueamento. De acordo com Osawa, hoje, em todo o mundo, já se procura os sinais de recuperação da crise mundial. "Eu acredito que os primeiros sinais deverão vir do Brasil", previu.

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas