A Lamina Technologies está completando quatro anos de atuação no mercado brasileiro. E, segundo a direção da filial, já há muito o que comemorar. O conceito de ferramentas multimateriais, lançado pela empresa suíça no mundo em 2001, já é considerado bem-sucedido no mercado brasileiro.

Segundo Regis Vasques Franco, gerente Técnico-Comercial da empresa no Brasil, "quatro anos atrás não se podia imaginar a dimensão que a Lamina Technologies iria atingir no mercado brasileiro". Segundo Franco, após décadas de difusão da idéia de que cada vez mais as ferramentas de metal duro para usinagem convergiam para a especialização, com classes e geometrias específicas para cada aplicação, o mercado simplesmente não acreditava que se poderia obter melhor custo-benefício com a redução de classes e geometrias para torneamento e fresamento.

"Diante desse cenário, nossa equipe comercial, amparada pelo departamento técnico, iniciou quase que uma epopéia, quebrando paradigmas até então intocáveis e implementando o conceito de uma classe (LT10) para torneamento e uma (LT30) para fresamento, dispondo de apenas duas geometrias de quebra-cavaco para torneamento (P e G) e design único para fresamento", lembra o gerente.

De acordo com Franco, muitos dos primeiros clientes que aceitaram fazer os testes com as ferramentas da Lamina o fizeram apenas pela curiosidade de conhecer um conceito que na verdade não acreditavam. "Alguns aceitaram fazer os testes apenas para provar que estávamos errados", diz.

Porém, o conceito e as ferramentas surpreenderam a maioria, diz o gerente. "Logo nos primeiros resultados pudemos comprovar a eficiência dos insertos, com êxito em 70% dos testes em torneamento, sem alterações nos parâmetros de corte". Franco acrescenta que, com pequenas alterações, foram aprovados mais 20% dos casos, restando apenas 10% das aplicações nas quais seriam necessários ajustes e alterações mais significativas no processo. "Já nos testes na área de fresamento, tivemos sucesso em 95% dos casos, sem nenhum ou com pequenos ajustes", afirma.

Na avaliação do gerente, esses testes provaram ao mercado que "é possível simplificar a vida dos profissionais envolvidos na logística e aplicação das ferramentas de metal duro, reduzindo os custos administrativos e de estocagem dos insertos". Em sua opinião, "o conceito também disponibiliza ´a ferramenta certa, no momento certo e no local adequado`, na medida em que elimina a necessidade de gerenciar ´estoques de gaveta`, procedimento comumente usado pelos operadores que necessitam possuir grande variedade de insertos para realizar suas tarefas cotidianas".

Um fato importante - marcante para a trajetória da empresa no Brasil - foi a aprovação e implementação das ferramentas da Lamina nas linhas da Robert Bosch Curitiba, ainda em 2005. "Na usinagem de bombas injetoras, em testes contra os principais fabricantes mundiais, nossas ferramentas mostraram que o conceito também pode proporcionar resultados melhores do que os insertos dedicados em produções seriadas de grande volume".

A partir daí, frisa o gerente, a Lamina implementou sua gama de produtos, trazendo para o Brasil novos itens em torneamento, fresamento, furação e corte, todos segundo o conceito "Multi-Mat". "Hoje nossa rede de distribuição atua em todo o Brasil e nossos produtos estão disponíveis para todos os profissionais que queiram testar o conceito", diz Franco, acrescentando que em 2009 novos itens e soluções de usinagem estarão à disposição do mercado brasileiro, que certamente contribuirão para levar a empresa "ao aumento da participação no mercado nacional".

Autor(es): Usinagem Brasil

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas