Empresa envia hoje 17 mil toneladas de concentrado da mina do Sossego para a Caraíba Metais. O primeiro embarque oficial de concentrado de cobre proveniente da mina do Sossego (PA) foi realizado no dia 5, no Terminal de Ponta da Madeira, em São Luís, pela Companhia Vale do Rio Doce (CVRD). Segundo a Vale, serão embarcadas 17 mil toneladas para a Caraíba Metais, no navio de bandeira brasileira Norsul Sobral.

A Vale informou que o cobre vem sendo estocado em São Luís desde o mês passado. No momento, estão estocadas as 17 mil toneladas do produto em Ponta da Madeira. Em junho, a Vale chegou a realizar dois embarques de cobre em Ponta da Madeira, em sistema de operação assistida. Parte da carga, 16,5 mil toneladas foi destinada à Alemanha. O próximo embarque previsto, após o oficial, é de 22 mil toneladas para o mercado externo, mas a Vale ainda não informou o destino.

O cobre deixa a mina do Sossego em caminhões até a cidade de Parauapebas (PA), num percurso de 65 quilômetros. Em Parauapebas, o produto é embarcado nos vagões da CVRD e transportado pela Estrada de Ferro Carajás (EFC), com uma extensão de 892 quilômetros até o porto maranhense. Para o transporte ferroviário, o cobre dispõe de três composições de 20 vagões, cada um com capacidade para até 60 toneladas. Cada comboio leva três dias para chegar até São Luís.

Em São Luís, a Vale montou uma estrutura especial para atender ao movimento do cobre e conta com um armazém com capacidade para até 50 mil toneladas do produto. O transporte do cobre dos vagões para o armazém e até o embarque nos navios é feito por correias transportadoras fechadas (tubulares). A Vale também instalou um carregador de navios novo no porto para atender especificamente ao cobre.

O concentrado de cobre é mais um produto que entra na pauta de movimentação do complexo portuário de São Luís, que tem em sua base de movimento os granéis, com o diferencial de minério de grande valor econômico no mercado. Até o final do ano, só a movimentação do cobre vai proporcionar uma receita de R$ 600 mil no faturamento da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), segundo o presidente da Emap, Fernando Fialho.

O embarque do cobre vai ser feito pelo berço 105, do porto do Itaqui, arrendado à CVRD. A Emap prevê um faturamento de R$ 33 milhões até o final do ano.

'O mais importante é que o Brasil vai começar a exportar cobre. O mais significativo é que este é um produto novo a ser exportado e vai utilizar a estrutura de logística do complexo portuário de São Luís', observa Fernando Fialho.

A previsão de movimento no complexo portuário de São Luís (que envolve os portos da Alumar, Ponta da Madeira e Itaqui) é de 75 milhões de toneladas, para as 68 milhões de toneladas movimentadas no ano passado. Além do cobre, o complexo movimenta alumínio, minério de ferro, ferro-gusa, bauxita, manganês, entre os granéis sólidos.

Autor(es): Infomet

facebook      twitter      google+

Suprimentos Industriais
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Suprimentos Industriais