ThyssenKrupp amplia operaçõesFábrica brasileira terá capacidade dobrada para ampliar exportações. A ThyssenKrupp Elevadores vai investir R$ 20 milhões para dobrar a capacidade de produção da fábrica instalada em Guaíba (RS). Em quatro anos, a empresa de capital alemão planeja vender 8 mil unidades anuais - neste ano serão comercializadas 3,5 mil, disse o diretor Manuel Ventura Ventura. Boa parcela desse crescimento visa o mercado externo, para onde a Thyssen planeja mandar cerca de 40% da produção até 2008, o dobro do volume exportado pela empresa atualmente.

O executivo da Thyssen afirmou que o Brasil tem bom nível tecnológico nessa área, mão-de-obra qualificada e preços competitivos. Portanto, além de atender a América do Sul, a fábrica brasileira vai vender também para países da África e Oriente Médio. "Em alguns casos não temos outras fábricas perto para atender a demanda; em outros, as fábricas mais próximas não têm mais capacidade de atendimento", disse Ventura.

Segundo o diretor da ThyssenKrupp, uma dificuldade enfrentada no Brasil é o custo da operação logística, tanto para o mercado interno quanto para o externo. "Estamos buscando soluções logísticas", afirmou o executivo. Em uma exportação para a Venezuela, informou Ventura, o custo com a logística equivale a cerca de 30% do valor do produto. Aquisição na Nova Zelândia O grupo Thyssen passou a produzir elevadores no Brasil em 1999 com a compra da Elevadores Sûr. Em 2003 a receita da operação local foi de aproximadamente R$ 240 milhões.

O grupo fabrica elevadores também na Alemanha, Espanha, França, Estados Unidos e China. Ontem, a ThyssenKrupp Elevator Austrália Pty anunciou a compra da Elevator Technologies Pty, na Nova Zelândia. Um dos objetivos é operar na prestação de serviços para aquele mercado.

O faturamento do grupo alemão com elevadores foi de cerca de € 4 bilhões no ano passado, cresceu 15% em comparação com o ano anterior, de acordo com Ventura. O valor inclui as receitas com serviços de assistência técnica.

Parte do investimento na fábrica brasileira visa a montagem de um novo centro de corte robotizado, adquirido na Finlândia, informou Ventura. No Brasil a empresa emprega atualmente 1,8 mil pessoas.

Autor(es): Gazeta Mercantil

facebook      twitter      google+

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional