Deepwater Horizon: EPA considera dispersantes menos tóxicos do que o petróleoWASHINGTON, DC - Depois de duas rodadas de testes, a Environmental Protection Agency (Agência de Proteção ao Meio Ambiente), EPA, americana diz que o dispersante utilizado no vazamento de petróleo em Macondo no Golfo do México não tinha "atividade biologicamente significante de desregulação endócrina".

A agência também disse que todos os dispersantes testados apresentaram o mesmo efeito sobre a vida aquática, e que os produtos só são menos tóxicos do que qualquer tipo de petróleo ou uma mistura de óleo bruto e dispersante.

Ambas as fases do estudo descobriram que o dispersante específico utilizado pela BP em Macondo, COREXIT 9500Å, foi comparável com todos os outros dispersantes aprovados disponíveis hoje no mercado. Os resultados da Fase II indicam que as misturas de óleo dispersante são geralmente mais tóxicos para as espécies aquáticas do que o petróleo sozinho.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás