Sete ferramentas para controle de qualidade na produçãoO controle de qualidade na produção e na manutenção depende de alguns indicadores e ferramentas de controle de qualidade que identificam possíveis falhas nos processos de manufatura. As sete ferramentas para controle de qualidade na produção é uma designação dada a um conjunto fixo de técnicas gráficas identificadas como sendo úteis na solução de problemas relacionados à qualidade.

As sete ferramentas básicas de controle, métodos usados tanto na manutenção quanto na manufatura pelas indústrias, estão em contraste com os métodos estatísticos mais avançados, tais como pesquisa de amostragem, amostragem de aceitação, testes estatísticos de hipóteses, planejamento de experimentos, análise multivariada e vários métodos desenvolvidos no campo da pesquisa de operações.

As sete ferramentas básicas são: Diagrama de causa e efeito ou diagrama de Ishikawa, folha de verificação, histograma, gráfico de Pareto, diagrama de dispersão, fluxograma e estratificação. O digrama de Ishikawa mostra as causas de um determinado evento . Os usos mais comuns do diagrama de Ishikawa são de concepção do produto e prevenção de defeitos de qualidade para identificar os possíveis fatores determinantes para os erros e falhas na produção ou até mesmo na manutenção. Cada causa ou motivo para a imperfeição é uma fonte de variação. As causas são geralmente agrupadas em categorias principais para identificar as fontes de variação. As categorias incluem tipicamente:

- Pessoas: Qualquer um envolvido no processo.
- Métodos: Como o processo é realizado e os requisitos específicos, como políticas, procedimentos, normas, regulamentos e leis.
- Máquinas: Qualquer equipamento, computadores, ferramentas e acessórios necessários para realizar o trabalho.
- Materiais: As matérias-primas e suprimentos usados para produzir o produto final.
- Medidas: Os dados gerados a partir do processo e que são utilizados para avaliar a qualidade dos produtos.
- Ambiente: As condições, tais como localização, tempo, temperatura e a cultura em que o processo funciona.

Já a folha de verificação é um documento simples, que é utilizado para a coleta de dados em tempo real e no local onde os dados são gerados. O documento é tipicamente um formulário em branco que é projetado para a gravação rápida, fácil e eficiente das informações desejadas, que podem ser quantitativas ou qualitativas. Quando a informação é de natureza quantitativa, a folha de verificação é chamada também de folha de registro.

Um gráfico de dispersão ou scattergraph é um tipo de diagrama matemático que aplica coordenadas cartesianas para mostrar os valores de duas variáveis para um conjunto de dados. Os dados são apresentados como um conjunto de pontos, tendo cada um o valor de uma variável que determina a posição no eixo horizontal e o valor da outra variável que determina a posição no eixo vertical. Este tipo de trama é também conhecida como gráfico de dispersão ou diagrama de dispersão.

Um gráfico de Pareto, em homenagem a Vilfredo Pareto, é um tipo de gráfico que contém barras e linhas, onde os valores individuais são representados por ordem decrescente de barras, e o total acumulado é representado pela linha.

O eixo vertical indica a frequência de ocorrência de falhas, já o eixo vertical à direita é o percentual acumulado do número total de ocorrências determinada pela unidade de medida. A estratificação é o processo de agrupamento de dados coletados em subgrupos homogêneos com base em amostragem. Os estratos devem ser mutuamente exclusivos: cada elemento deve ser atribuído a apenas um estrato.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Manutenção
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Manutenção