Processo de anodização dura de alumínioDevido ao seu peso leve e nenhuma condutividade, o alumínio anodizado tornou-se uma alternativa mais barata em relação ao aço nos meios de produção industrial. Mas muitas aplicações exigem um processo chamado de anodização de alumínio, um método que consiste na imersão do metal em um banho de ácido sulfúrico, chamado de eletrólito, executando uma corrente de baixa tensão elétrica através da solução ácida. O resultado da anodização comum é uma fina camada de óxido de alumínio (oxidação) sobre a superfície da folha de alumínio original. Quando a solução ácida é resfriada até o ponto de congelamento da água e a quantidade de corrente elétrica aumenta substancialmente, o processo é chamado de anodização dura do alumínio.

O processo de anodização dura é mais encontrado em aplicações industriais ou comerciais do que em produtos de consumo. Algumas panelas de alumínio podem ser tratadas através do método de anodização rígida, mas a anodização comum geralmente produz um revestimento durável antiaderente, mais preferido pelos consumidores. A anodização dura produz um revestimento muito mais espesso do óxido de alumínio, penetrando em pequenos orifícios e fissuras na superfície para criar uma aparência mais uniforme do que o alumínio anodizado regular. Chapas de alumínio processadas por anodização dura podem ter uma superfície marrom escuro ou preto, mas outras cores também são criadas.

As principais vantagens da anodização de alumínio rígido são seu baixo custo de produção e peso mais leve, o que permite que o alumínio anodizado seja destinado tanto para fins industriais, como na confecção de chapas de metal, como na produção de produtos e suprimentos para fins comerciais e de utilidade doméstica. O método de anodização rígida também é aproveitado para fabricar um produto resistente às duras condições meteorológicas, e aos processos de usinagem abrasiva.

A indústria automobilística e a indústria de fabricação de panelas utilizam a anodização dura como forma de tornar o metal mais resistente à corrosão e ao contato com produtos químicos, especialmente porque aumentam a vida útil do alumínio, formando uma película protetora do metal. Algumas peças automotivas também obtêm vantagens com o emprego do processo de anodização dura, uma vez que o produto final pode suportar o calor e não é condutivo. A área médica também tem se beneficiado ao aplicar a tecnologia de anodização dura.

O alumínio anodizado rígido é usado em próteses para ganhar maior resistência à corrosão e qualidade do metal. A anodização dura na indústria metal mecânica possui muitas características parecidas com o processo de anodização sulfúrica, mas os dois processos de usinagem têm resultados bem diferentes. A anodização dura cria uma superfície muito mais espessa de óxido de alumínio com uma ligação mais forte com a camada de alumínio original.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Metal Mecânica
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Metal Mecânica