Google
Matérias, artigos e empresas relacionados a Manutenção e Suprimentos para a indústria
Esqueci minha senha

Brasil terá primeira fábrica da Falmec fora da Itália

Mais notícias relacionadas a comércio internacional:

Taiwan: mercado promissor de produtos siderúrgicos
Cenário dos laminados planos é dominado pela China Steel Corporation (CSC), única empresa com usinas ...


O que são exportações invisíveis
Também conhecidas como exportações intangíveis, incluem pagamentos, licenciamento e repatriação de lucros entre empresas.


Camex anuncia redução de imposto de importação até 2014
Máquinas e bens de informática não produzidos no Brasil


Brasil terá primeira fábrica da Falmec fora da ItáliaA Falmec, fabricante italiana de coifas, fornos e fogões de luxo, vai ampliar sua linha de produtos no Brasil com a inauguração de sua primeira fábrica fora da Itália. A unidade, que entrará em operação no mês que vem, em Bangu (RJ), contará com investimentos de R$ 10 milhões e gerará 90 empregos diretos. O Brasil responde atualmente por 7% das vendas da companhia, que em 2003 chegaram a 70 milhões de euros. A expectativa do presidente da Falmec no Brasil, Peri Olhovetchi, é triplicar a participação do país na receita total da empresa, nos próximos dois anos.

A nova unidade, que terá 7.500 m² de área construída, com capacidade de produção de até oito mil coifas por ano e será utilizada para abastecer os mercados brasileiro e sul-americano. No Brasil desde 1998, a Falmec basicamente importava os seus produtos da Itália. A idéia, adiantou Olhovetchi é atingir a auto-suficiência já no próximo ano. Para isso, os técnicos da empresa estão trabalhando no lançamento de duas novas linhas de coifas estritamente nacionais.

Os produtos, '100% brasileiros', conta Olhovetchi, custarão até 25% menos do que os similares europeus e irão variar de R$ 1.100 a R$ 1.500. 'O consumidor brasileiro é diferente. Nossa cozinha tem muita fritura e o país tem oito mil quilômetros de costa. Para isso estamos desenvolvendo um produto com um bom poder de sucção e resistente a maresia', explicou Olhovetchi.

A empresa também está trabalhando para tentar formar em Bangu um pólo logístico com o objetivo de levar para a região indústrias satélites que fabriquem e forneçam matéria-prima para a sua linha de produção.

Pelos estudos da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico e da Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio (Codin), o pólo teria capacidade para abrigar 50 empresas do setor. O investimento na instalação dessas indústrias, pelos cálculos de Olhovetchi, poderia chegar a US$ 100 milhões, com a criação de 10 mil empregos diretos.

'Queremos formar uma base sólida para atender a América Latina e beneficiar o desenvolvimento do Estado do Rio', disse o executivo. Segundo ele, as vantagens de Bangu, em relação a outros bairros, são a proximidade com os portos do Rio e de Sepetiba e o potencial de capacitação de mão-de-obra, já que Bangu tem 2,5 milhões de habitantes.

Para atender a demanda do mercado doméstico, a empresa fechou contrato com a Acesita, que integra o grupo Arcelor, controlador da Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST), para o fornecimento do aço inox, e com a White Martins, que será responsável pelo corte a laser do metal.

A empresa de Treviso, que também equipa as cobiçadas cozinhas da Florense, também tem trabalhado na montagem de showrooms no Rio, São Paulo e Rio Grande do Sul e no desenvolvimento de uma rede com mais de 350 representantes no Brasil. Investimentos também foram feitos no treinamento e na qualificação de uma equipe de profissionais de vendas que têm disseminado no país o conceito do uso das coifas e de equipamentos sob medida para cozinhas. 'Enquanto as concorrentes ainda tratam as coifas como supérfluo, a Falmec investe em design e tecnologia. Isso faz toda a diferença', disse Olhovetchi.

Em dezembro de 2003, a empresa inaugurou seu primeiro showroom, com cerca de 350 m², em São Paulo. O próximo showroom será inaugurado, até o próximo ano, na nova fábrica da Falmec, em Bangu.

Valor

facebook      twitter      google+

* campos obrigatórios

Outras notícias relacionadas a comércio internacional:

Importação de produtos químicos da Índia

A indústria química indiana está em franca expansão. O setor proporciona hoje um grande volume de negócios dentro e fora do país. Produtos químicos ...
Pesquisa mostra recuperação da indústria chinesa

A produção industrial na China melhorou neste mês de outubro, dando sinais de que uma recuperação pode estar tomando forma depois de uma queda acentuada da segunda ...
Definição de certificado de origem

O certificado de origem é um documento importante no comércio internacional que atesta que os bens em um embarque de exportação específico são inteiramente obtidos, produzidos, fabricados ...
Diferença entre marca de serviço e marca registrada

Se você fabrica um produto ou oferece um serviço, provavelmente quer que sua empresa tenha uma identidade única para permitir que seus clientes saibam a origem do produto ou ...
Modelos de comércio internacional

Modelos de comércio internacional têm sua origem na teoria da vantagem absoluta apresentada por Adam Smith, que demonstrou que era benéfico para um país se especializar ...
Déficit em químicos alcança US$ 12,0 bi no primeiro semestre

As importações brasileiras de produtos químicos totalizaram mais de US$ 19,4 bilhões no primeiro semestre de 2012, enquanto as exportações somaram US$ 7,4 bilh ...
China pretende criar zona de conversão da moeda

A China planeja criar uma zona especial para experimentar com a convertibilidade da moeda em Shenzhen (foto), cidade em que introduziu as principais reformas econômicas há três d ...

Comércio Internacional
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Comércio Internacional


Veja na Agenda de Feiras e Congressos
Veja na Agenda de Feiras e Congressos

Google