A Usiminas vai iniciar nos próximos meses projeto de expansão de US$ 600 milhões para sua capacidade de produção em Ipatinga, no Vale do Aço. Os investimentos foram avaliados ontem em Tóquio, durante encontro entre o governador Aécio Neves, o presidente da Usiminas, Rinaldo Campos Soares, e representantes da Nippon Steel. A multinacional japonesa, acionista da siderúrgica, investirá na construção de uma coqueria, um alto-forno e uma termoelétrica, empregando gás oriundo de alto-forno. Durante encontro com executivos do Japan Bank International Corporation (JBIC), na segunda-feira, Aécio obteve a garantia de apoio da instituição aos sócios da Usiminas para esses investimentos.

Em outro encontro com empresários, na sede da Nippon Keidanren, o equivalente no Brasil à Confederação Nacional da Indústria (CNI), para mostrar as potencialidades mineiras e incentivar investimentos no Estado, o governador relatou as vantagens oferecidas pelo Estado, ressaltando que Minas pode se tornar porta de entrada de produtos oriundos do Japão, não apenas para o Brasil, mas para o Mercosul. Ele também destacou a gestão inovadora, o avançado estágio de modernização tecnológica e a boa qualificação da mão-de-obra mineira. “Minas oferece todas as vantagens objetivas que um empresário deseja encontrar no exterior”, afirmou.

Segundo o governador, o cenário têm sido favorável à manutenção do fluxo de investimentos estrangeiros no País, que podem chegar, em 2004, a US$ 12 bilhões. Os participantes do encontro ouviram de seus colegas japoneses que já mantêm relações comerciais com Minas, entre eles, os sócios da Usiminas e Cenibra, relatos sobre as vantagens de se ter negócios no Estado. Aécio também visitou a Japan External Trade Organization (Jetro), onde foi recebido pelo presidente Hiroshi Tsukamoto, e discutiu formas de cooperação para ampliar as exportações das pequenas e médias empresas mineiras para o Japão.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Wilson Brumer, que acompanha o governador na viagem ao Japão, disse que a Jetro tem interesse em apoiar as importações japonesas de produtos brasileiros, principalmente, de produtos orgânicos, gemas e pedras, autopeças, própolis, cachaça e cogumelo, além de softwares.

Autor(es): Estado de Minas

facebook      twitter      google+

Economia
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Economia