Usinagem eletroquímica na indústria metal mecânicaA usinagem eletroquímica é considerada uma técnica de retirada de metal por um processo eletroquímico, aplicado em materiais que conduzem eletricidade. Normalmente, esse processo é mais utilizado nas indústrias metal mecânicas quando elas desejam produzir em massa, sendo aplicado em materiais extremamente duros ou materiais que são difíceis de usinar com o emprego de métodos convencionais. Esse método de usinagem pode cortar os materiais em forma de pequenos ângulos, com contornos intrincados ou cavidades em metais mais exóticos, como aluminetos de titânio, níquel, cobalto e outras ligas de metal.

A usinagem por processo eletroquímico (ECM) é muitas vezes caracterizado como galvanoplastia reversa, na medida em que remove o material em vez de adicioná-lo. É similar ao conceito de usinagem de descarga elétrica, em que uma alta corrente passa entre um eletrodo e a peça, através de um processo eletrolítico de remoção de material com um eletrodo carregado negativamente (cátodo), um líquido condutor (eletrólito) e uma peça condutora (ânodo), porém, na usinagem por método eletroquímico não há desgaste da ferramenta. A ferramenta de corte é guiada ao longo da peça, em toda a região a ser trabalhada, mas sem tocar na peça. Ao contrário usinagem de descarga elétrica, no entanto, faíscas não são criadas.

No processo de ECM, um cátodo (ferramenta) é aplicado em um ânodo (peça). O eletrólito é injetado sob pressão a uma temperatura definida para a área a ser cortada. A taxa de alimentação é a mesma que a taxa de liquefação do material. A distância entre a ferramenta e a peça varia de 8 a 80 micrômetros (de 0,003 a 0,030 polegadas). Quando os elétrons chegam ao material, ele é dissolvido, de acordo com a forma desejada.

O processo ECM é mais usado para produzir formas complexas como a turbina de pás com bom acabamento superficial em materiais mais duros. Também é amplamente utilizado em processos de rebarbação. Na rebarbação, a técnica de usinagem eletroquímica remove o metal excedente e embota bordas afiadas. Esse processo é rápido e muitas vezes mais conveniente do que os métodos convencionais de rebarbação feitos de forma manual ou com uso de processos de usinagem tradicionais.

Atualmente, muitas fabricantes de máquinas de usinagem produzem máquinas para usinagem eletroquímica, como a Pazetto Usinagem e Fundição, de Santa Catarina, a knuth do Brasil Tecnologias Industriais, de Barueri, SP, a MCS Indústria Mecânica de Contagem, em Minas Gerais, e a Metalsystem Indústria, Comércio e Representação Ltda, de São Leopoldo, RS. Para conquistar um alto desempenho na produção de peças usinadas, essas máquinas de usinagem necessitam de manutenção e lubrificação constantes, evitando quebras e falhas e garantindo que não haverá atritos entre as peças, o que gera desgaste nos componentes.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Metal Mecânica
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Metal Mecânica