Durante a 11ª Sessão da Câmara Ambiental da Indústria Paulista o Grupo de Trabalho (GT) para "Prevenção à Poluição" e "Produção mais Limpa" apresentou o primeiro relatório parcial das análises que vêm sendo realizadas sobre ambos os temas.

A Câmara Ambiental foi criada há dois anos para identificar os fatores que condicionam a adoção e implementação de práticas e tecnologias de prevenção à poluição e produção mais limpa (P + L) na indústria e, em especial, nas pequenas empresas. Assim, o relato exposto na tarde de ontem, na sede da Fiesp/Ciesp, propõe instrumentos e ações para que se alcance tais objetivos. "Não é função da Câmara Ambiental solucionar os problemas. Cabe a nós identificá-los e propor diretrizes que promovam avanços", afirmou Roberto Lajolo, membro do IPT e relator do GT em questão.

O relatório sugere um roteiro de trabalho para a implementação de P + L, que inclui uma discussão conceitual do tema, a elaboração de uma metodologia para sua adoção, o contato com experiências práticas em P + L, a interação com outros instrumentos de gestão ambiental e a criação de critérios para a monitoração do trabalho.

Dentre essas questões, o relato reforça que a produção mais limpa deve ser um iniciativa de natureza voluntária e propõe a adoção da definição de P + L da UNIDO (Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Social) como referência, na tentativa de uniformizar a linguagem do GT.

Durante a sessão, foi aprovada a Ata da 10ª Sessão da Câmara, realizada no dia 6 de novembro do ano passado. Além disso, o diretor do Departamento de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (DMA) da Fiesp/Ciesp, Romildo Campelo, citou todas as ações que a entidade tem realizado no que se refere à questão ambiental desde o início do ano.

Autor(es): Fiesp/Ciesp

facebook      twitter      google+

Meio Ambiente
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Meio Ambiente