O poço A-17D, o último no campo offshore de Albacora com licença de operação pertencente à BPZ Energy localizado no noroeste do Peru, era um poço seco. A companhia decidiu então suspender as operações de perfuração e exploração de petróleo e gás no campo até que tenha terminado um programa de aquisição sonda sísmica 3D no bloco Z-1, atualmente suspenso a pedido do governo peruano.

A companhia BPZ está completando mais estudos ambientais solicitados pelo governo para obter a permissão de levar o programa sísmico à diante. Se tudo correr bem, o trabalho pode começar logo no primeiro semestre de 2011. Durante o período de inatividade de perfuração, a empresa tem o objetivo de alcançar as metas de fixar permanentemente as instalações de injeção na plataforma Albacora. Isso deve facilitar a continuidade da produção do campo, uma vez que as operações serão reiniciadas, evitando a queima de gás .

Entretanto, a sonda contratada está em estado de espera. De acordo com Richard Spies, diretor de operações "parece que o campo de Albacora poderia ser uma série de canais turbidíticos ou lóbulos, que deverão ser melhor definidos pela sísmica 3D. Em um esforço para gerenciar a utilização de capital de investimento existente da forma mais benéfica, vamos parar temporariamente as operações de perfuração em Albacora até completar o programa de aquisição sísmica 3D, que deve coincidir com a instalação de equipamentos de injeção e produção na plataforma Albacora. Em paralelo, pretendemos realizar alguns workovers no atual campo [poços offshore de Corvina] e nos prepararmos para continuar a desenvolver o campo petrolífero de Corvina’, concluiu Richard.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás