Os filtros de ar são aparelhos que removem partículas, como poeira e sujeira que se formam no ar. Aplicações que exigem alta qualidade do ar ou ar-sensível costumam usar filtros de ar. Como são várias as exigências na aplicação, existem diversos tipos de métodos de filtragem disponíveis. Iônico, filtro HEPA, carbono, filtros de ar e luz UV são comumente utilizados nos setores industriais, comerciais e médicos.

Filtros de ar iônico

Também chamados ionizadores de ar, os filtros de ar iônico dependem de tensão para carregar as moléculas de ar. Normalmente, eles produzem íons negativos, também chamados de ânions, que então atraem partículas no ar, da mesma maneira que a eletricidade estática. As partículas em contato com os ânions são deionizadas e removidas do fluxo de ar. Filtros de ar iônicos são comumente utilizados na filtragem do ar comercial.

Filtros de ar HEPA

Os filtros HEPA (alta eficiência de absorção de partículas), são mais fortes e eficazes do que os filtros de ar iônico, e são, portanto, preferidos por aplicações sensíveis. Filtro HEPA pode eliminar até 99,97 por cento de partículas do ar, tornando-o um higienizador de ar extremamente eficaz. Os filtros são essencialmente compostos de mantas de fibra de vidro, que prendem as partículas quando uma corrente de ar flui por ela. A eficácia de um filtro HEPA depende em grande parte do diâmetro das fibras e da espessura do filtro.

Filtros HEPA prendem as partículas de várias maneiras diferentes. Primeiro, eles interceptam as partículas quando o ar flui através do filtro e as partículas nas proximidades de uma fibra são capturadas e presas. Além disso, a interceptação aumenta o fluxo de ar e curvando-se o fluxo de ar pode provocar um impacto, fazendo com que as partículas se choquem diretamente com as fibras e sejam apanhadas. Difusão é o processo que utiliza o gás de colisão para separar as partículas menores, diminuindo sua velocidade ao passar através do filtro e aumentando suas chances de ser pego por uma fibra. Por causa do alto nível de eficiência os filtros HEPA geralmente são usados no setor médico para remover bactérias e evitar a contaminação, e são frequentemente utilizados em salas de hospital que necessitam ser limpas e altamente higienizadas.

Filtros de ar de carbono

O carbono pode ser tratado com o oxigênio, que abre os poros do carbono tornando-o altamente absorvente. Após esse tratamento, o carbono é definido como ativado porque ele pode ser facilmente utilizado para absorver partículas e odores. Filtros de ar de carbono usam carvão ativado para prender produtos químicos e gases, e também tem o poder de filtrar à fumaça do cigarro. Como o ar passa através do filtro, o carvão ativado absorve os odores e gases neutralizando-os. Para vapores odoríferos o carvão ativado pode ser impregnado ou reforçado, de forma a absorver o gás emitido. Filtros de carvão ativado são bem adaptados a ambientes onde as substâncias químicas devem ser retiradas do ar.

Filtros de ar de luz UV

Filtros de ar de luz ultravioleta usam uma reação que ocorre quando o dióxido de titânio é exposto à luz UV. Como o fluxo de ar se encontra com o processo fotoquímico, as partículas nocivas, tais como fungos e bactérias, são neutralizadas. A alta intensidade de UV (240-280 nm) é forte o bastante para dividir a maioria dos compostos orgânicos baseados no carbono, tornando o filtro de ar de luz UV um bom companheiro para filtros HEP em aplicações médicas. Para o filtro de luz UV ser eficaz ele depende do tempo de exposição (quanto tempo o fluxo de ar é submetida à luz) e da intensidade da luz em si.

Sugerimos como informação complementar, sistemas de filtragem no indicador de empresas.

Autor(es): Flávio Saraiva

facebook      twitter      google+

Meio Ambiente
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Meio Ambiente