STX OSV irá instalar novo estaleiro no BrasilSTX OSV Holdings, a maior fabricante de navios-sonda de apoio de petróleo do mundo, planeja dobrar a capacidade das operações da Petrobras em águas brasileiras, empresa que irá receber um grande investimento mundial para ampliar suas operações através de um maior plano de exploração do petróleo. A fabricante de navios offshore começará a produção de um segundo estaleiro em Pernambuco, em 2012, e as entregas começam já no ano seguinte, em 2013, segundo declarações do chefe executivo Roy Reite, em uma entrevista feita no último dia 12 de novembro. A base da STX OSV, em Alesund, na Noruega, tem pedidos para oito navios que serão construídos nas novas instalações.

Na semana passada, o construtor naval arrematou US$ 257,3 milhões em uma oferta pública inicial de Cingapura para investir em seus planos de expansão, incluindo o novo estaleiro a ser construído no Brasil. As companhias Keppel e SembCorp Marine, as duas maiores fabricantes de plataformas de águas rasas do mundo, estão também estudando a possibilidade de investir em instalações no Brasil após a Petrobras levantar US$ 70.000.000.000 vendendo ações em setembro, para financiar seus planos de perfuração.

"O Brasil está investindo muito dinheiro para desenvolver os recursos abundantes fora de sua costa e eles vão precisar de mais equipamentos", disse Cho em Karp, chefe de pesquisa da Heungkuk Securities Co, em Seul.

Demanda no Brasil

Os planos para o novo estaleiro foram impulsionados pelas necessidades locais do Brasil e pelas vantagens de criar instalações fora do país, disse o vice-presidente sênior da STX OSV, Holger Dilling. O governo brasileiro encarregou a Petrobras de recorrer a fornecedores nacionais para ajudar a impulsionar o desenvolvimento industrial da nação. "O Brasil é o mais país com maior e mais rápido crescimento do mercado offshore no mundo", disse Reite, em Cingapura. "Nós já estivemos no Brasil por nove anos e temos parceiros brasileiros, por isso conhecemos muito bem esse mercado”, concluiu Roy Reite.

O estaleiro só irá construir navios para o mercado brasileiro, enfatizou Dilling. A STX OSV espera manter a sua quota de quase 50% do segmento, onde a empresa é especializada no mercado offshore de construção de navios de apoio, Reite disse. Estes navios de plataforma de fornecimento pesam 4.500 toneladas, e contam com manuseio de âncoras e rebocadores com mais de 20.000 motores de potência de freio.

A empresa também está desenvolvendo navios em águas profundas capazes de trabalhar em ambientes mais inóspitos, já que as companhias de petróleo ampliam a busca de novos campos, informou Reite. "Para entrar em áreas de difícil acesso, a tecnologia será mais importante", disse ele. "Criar um navio que se adapte as tarefas mais difíceis é o que nós pensamos ser o projeto piloto mais importante nos próximos anos”, definiu Reite.

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás