Durante coletiva de imprensa realizada no Rio de Janeiro, ontem 17 de novembro, o diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, delegou à PDVSA, empresa estatal de petróleo da Venezuela, a responsabilidade de fazer o pagamento de 40% do empréstimo de R$ 9 bilhões obtidos pela Petrobras através do BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. O empréstimo visa criar condições de tornar exequível a construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

Na coletiva, Paulo Roberto Costa destacou a importância de dar prosseguimento às obras, ainda que os venezuelanos não tenham tomado alguma decisão. “A unidade de refino em construção no Estado de Pernambuco será a única refinaria da Petrobras voltada às atividades de processamento de óleo pesado, de 16ºAPI, considerando que a média das demais 12 unidades é de 26ºAPI”, citou Costa, explicando ainda que 70% da produção da refinaria Abreu e Lima será de óleo diesel. Cabe lembrar que em outras unidades da Petrobras, a média de produção é de 39%.

De acordo com diretor de abastecimento da Petrobras, o atual plano de negócios da companhia prevê a exportação de aproximadamente 800 mil barris diários em 2020. O executivo ressalta que a meta é reduzir a zero a importação de lubrificantes, petróleo e derivados em 2014, após o início das operações no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

O diretor de abastecimento, Paulo Roberto Costa, salientou a relevância e a magnitude da construção das novas refinarias Premium 1 e 2, a serem erguidas no Maranhão e no Ceará, respectivamente. “O crescimento de demanda interna é formidável. A estimativa é de que o Brasil passe da décima para a quinta posição entre os maiores consumidores mundiais de petróleo, com produção de 1,94 milhões de barris diários para 2,79 milhões de barris diários, até 2020”, finalizou.

Fonte: TN Petróleo

Autor(es):
Editora

facebook      twitter      google+

Petróleo & Gás
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Petróleo & Gás